Índios descumprem acordo e voltam a invadir fazendas no sul da Bahia

Publicado em 28/07/2014 18:38 691 exibições

Mais duas propriedades rurais foram invadidas pela milícia de índios pataxó no município de Itamaraju, no sul da Bahia. As áreas ficam as margens da BR-101, no distrito de São João do Monte, conhecido como Montinho. De acordo com informações dos donos dos imóveis, a milícia indígena expulsou os funcionários (vaqueiros e familiares) e fizeram ameaças.

As novas invasões significam a quebra de um acordo firmado entre as lideranças indígenas e os Ministros da Justiça e da Secretaria Geral da Presidência da República segundo o qual os índios não invadiriam novas propriedades e não fechariam os acesso às propriedades invadidas. O acordo foi firmado por Nilton Tubino em reunião com os líderes indígenas no início do mês de julho.

Na ocasião, Tubino informou aos produtores rurais que os Ministros José Eduardo Cardozo e Gilberto Carvalho já haviam decido enviar homens da Força Nacional para cobrar o cumprimento do acordo por parte dos índios. Os policiais não foram enviados conforme o prometido e os índios quebram o acordo.

Mais de cem propriedades foram invadidas pela milícia indígena na região. Todas foram saqueadas e os proprietários estão impedidos de circular pela área. Na ocasião da reunião com os índios, Tubino afirmou que o Governo sabe que os índios estão armados.

A situação na região é tensa. No final de semana os produtores se reuniram e decidiram criar uma organização local para reivindicar seus direitos. O ato da milícia em retomar as invasões pode ser uma represália à atitude dos produtores rurais.

Agropecuária Indígena Marãiwatsédé: Funai abre licitação para compra de insumos agropecuários para Terra Indígena Marãiwatsédé 

O Diário Oficial de hoje trás publicado a abertura de um edital de licitação da Coordenação da Funai de Ribeirão Cascalheira, no Mato Grosso, para compra de insumos agropecuárias para os índios xavante de Marãiwatsédé. A Funai comprará adubo químico, arame para cercas, sal mineral e sementes, todos insumos para atividade agropecuária. Continue lendo para mais informações a íntegra do edital:

A área que a Funai chama de Terra Indígena Marãiwatsédé foi demarcada sobre a antiga Fazenda Suiá-Missu, uma gleba de terras com 165 mil hectares e mais de 100 hectares de pastos da melhor qualidade plantados com o suor dos milhares de agricultores que vivam no local.

No final de 2012 a Funai expulsou os agricultores e destruir as benfeitorias feitas por eles, incluindo casas, currais e cercas. Embora o Ministério Público Federal e o Governo, por meio da Advocacia Geral da União, estejam processando os agricultores expulsos pelo que chamam de "degradação da área", a Funai pretende usar a área "degradada" para criar gado para os índios se aproveitando do trabalho alheio. 

Recentemente uma ONG de produtores rurais, a Aliança da Terra, iniciou um trabalho junto aos índios xavante com o objetivo de empoderá-los a criar gado na área. A ONG reformou currais, cercas e ensinou alguns índios a tratar do rebanho bovino que recebeu a sugestiva marca XM - Xavante Marãiwatsédé. O projeto sofreu críticas do movimento indigenista e dos ex produtores rurais.

Agora a própria Funai parece ter resolvido assumir a transformação de Marãiwatsédé na maior Fazenda de pecuária do Mato Grosso.

Veja a íntegra do Edital:

COORDENAÇÃO REGIONAL DE RIBEIRÃO DE CASCALHEIRA

AVISO DE LICITAÇÃO

PREGÃO Nº 2/2014 - UASG 194042

Nº Processo: 08100.000075/2014 . Objeto: Pregão Eletrônico - Aquisição de adubo químico, arame para cerca, sal mineral, sementes agrícolas e mudas frutíferas, nativas e adaptáveis à região da Terra Indígena Maraiwatsede. Total de Itens Licitados: 00058. Edital: 28/07/2014 de 08h00 às 12h00 e de 14h às 17h00. Endereço: Av Dos Expedicionários, 316, Centro RIBEIRAO CASCALHEIRA - MT. Entrega das Propostas: a partir de 28/07/2014 às 08h00 no site www.comprasnet.gov.br.. Abertura das Propostas: 07/08/2014 às 10h00 site www.comprasnet.gov.br.. Informações Gerais: Retirada do Edital no sítio: www.comprasnet.gov.br

WILSON MENEZES DA SILVA

 

 

Fonte:
Blog Questão Indígena

0 comentário