Dilma deve tirar Gilberto Carvalho e colocar Miguel Rossetto, e quer Katia Abreu no MAPA

Publicado em 28/10/2014 17:26 e atualizado em 29/10/2014 10:58 3197 exibições
No blog Questão Indigena.org

Giba%2BKaka%2B4.jpg

O jornal O Globo informa hoje que o gaúcho Miguel Rossetto, ex Ministro do Desenvolvimento Agrário nos governo Lula e Dilma, pode ser remanejado para a Secretaria-Geral da Presidência, cargo hoje ocupado por Gilberto Carvalho, que deverá deixar o governo. Ainda de acordo com O Globo, a presidente sinalizou que gostaria de levar a senadora Kátia Abreu, presidente da Confederação Nacional da Agricultura, para o Ministério da Agricultura, mas enfrentará resistências dentro do próprio PMDB, atual partido de Abreu.

Se confirmadas, as duas nomeações favorecerão o deslinde de uma solução final para a Questão Indígena.

Durante o Governo Lula, Rossetto atuou junto ao então Ministro da Justiça, Marcio Tomáz Bastos, em favor de agricultores cujas áreas estavam sendo demarcadas como indígenas. Como hoje, muitos pequenos produtores rurais estavam sendo expulsos em decorrência de novas demarcações sem previsão de assistência por parte do Governo. Ao contrário de Gilberto Carvalho, Rossetto trabalhou por essas pessoas.

Em 2003, Rossetto e Bastos estabeleceram uma parceria para qualificar os processos de demarcação de terras indígenas incluindo nesses processo o reassentamentos das comunidades não índias que deixarem as terras após demarcação. "Sair de uma situação de tensão permanente, onde os processos demarcatórios que implicam na retirada das comunidades não indígenas dessas áreas, não se dá de uma forma desarticulada. Isso tem criado muita tensão", observou naquele momento o ministro Rossetto.

Demarcar e retirar agricultores de forma desarticulada foi tudo o que fez Gilberto Carvalho. Da Secretaria-Geral, Carvalho e o indigenista Paulo Maldos coordenaram duas operações de expurgo étnico de áreas demarcadas pela Funai no Mato Grosso e no Maranhão. Juntas, as duas operações resultaram na expulsão violenta de milhares de famílias pobres de suas terras. Uma delas resultou na maior votação do Brasil a Aécio Neves.

Logo depois do anúncio oficial da reeleição de Dilma Rousseff, Gilberto Carvalho disse que o Governo deveria dar uma guinada à esquerda e acelerar a demarcação das terras indígenas. Veja aqui.

Na mesma direção foi o Secretário-Executivo do Cimi, Cleber Buzatto. Depois de passar quatro anos batendo no Governo, o Cimi diz que ajudou a reeleger Dilma e cobra a fatura pedindo que o Executivo retome as demarcações. Veja aqui.

Por outro lado, a nomeação da Senadora Katia Abreu para o Ministério da Agricultura daria à presidente da CNA grande influência junto à Presidente Dilma Rousseff. Feudo do PMDB, a pasta da Agricultura tem sido ocupada por deputados inexpressivos, pouco atuantes e sem qualquer poder de influência nas decisões do Governo.

Na opinião do editor do Blog Questão Indígena, "apesar das críticas que tem recebido de parte do setor rural em decorrência de sua aproximação com o PT, a Senadora Katia Abreu pode dar ao agronegócio algo que ele perdeu há décadas: poder de influência direta nas decisões do Executivo".

Outra pasta que terá ter grande influência no tema é o Ministério da Justiça, que deve permanecer sob o comando do atual Ministro, José Eduardo Cardozo. Assim como Miguel Rossetto e Katia Abreu, Cardozo também conhece de perto o problema vivido pelos agricultores cujas áreas são demarcadas pela Funai.

Caso queiram, os três podem fazer a diferença na luta dos agricultores não indígenas contra os abusos da Funai e dos indigenistas.

Veja matéria do O Globo: Dilma articula primeiros nomes para o ministério

Foto: Montagem a partir das imagens de José Cruz (Gilberto Carvalho) e Walter Campanato (Katia Abreu), ambos da Agência Brasil

Fonte:
Blog Questão Indígena

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

6 comentários

  • Anderson Hidalgo de Lima Sapezal - MT

    Essa senhora cala-se quando mais precisaram de seus palavras. Como fica as familias do Posto da Mata, e as demarcações que se comentaram a algum tempo dentro do MT, tenho agricultores e pecuaristas na famillia e isso que aconteceu com a imposição do governo sórdido em suas atitudes foi horrenda, familias com crianças, idosos, pessoas contribuintes como queira o governo, acima de tudo seres humanos sendo expulsos de suas propriedades e a sua certeza de que estava até o momento fazendo algo para melhoria de nosso país indo pelo ralo, policia em cima de trabalhadores, o fim do mundo para os moradores daquela região, todo uma vida de trabalho foi-se em poucos dias escorrendo por seus dedos como areia ao vento.

    Ministra qual sua posição sobre o assunto ? .........e o Silêncio continua.............grandes palavras ministra,,,,,,,,

    0
  • Sílvio Luiz Vissotto Sananduva - RS

    Está esclarecida a compra da BSbios de Passo Fundo pela Petrobras? Rossetto está no rolo?? Quem vai esclarecer isso? Vai ficar no não sei de nada, não vi nada....

    0
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    Assisti o pronunciamento do senador Aloysio Nunes que foi candidato a vice de Aécio Neves. Fez um discurso de oposição, sem querer saber dessa conversa de união nacional em torno de bandidos. Logo depois um petista negou toda a sujeira que fizeram durante a campanha. Essa gente não pode ser certa da cabeça, pois depois de chamar Aécio de Hitler, os judeus naturalmente seriam os pobres, vem falar em união nacional como se nada tivesse acontecido. Pagam jornalistas para difamar adversários, cometem crimes as pencas e acusam os adversários de os estarem cometendo, mentem e fraudam dados, estão envolvidos com a pior bandidagem do País, e então ganham a eleição e pensam que tudo pode ser esquecido sem mais nem menos! Mais que nunca é preciso desmascarar esses frandadores da democracia em que a lei vale apenas para os adversários politicos, sendo que a presidente Dilma pode agir inconstitucionalmente e ao arrepio da lei à vontade.

    0
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    Assisti o pronunciamento do senador Aloysio Nunes que foi candidato a vice de Aécio Neves. Fez um discurso de oposição, sem querer saber dessa conversa de união nacional em torno de bandidos. Logo depois um petista negou toda a sujeira que fizeram durante a campanha. Essa gente não pode ser certa da cabeça, pois depois de chamar Aécio de Hitler, os judeus naturalmente seriam os pobres, vem falar em união nacional como se nada tivesse acontecido. Pagam jornalistas para difamar adversários, cometem crimes as pencas e acusam os adversários de os estarem cometendo, mentem e fraudam dados, estão envolvidos com a pior bandidagem do País, e então ganham a eleição e pensam que tudo pode ser esquecido sem mais nem menos! Mais que nunca é preciso desmascarar esses frandadores da democracia em que a lei vale apenas para os adversários politicos, sendo que a presidente Dilma pode agir inconstitucionalmente e ao arrepio da lei à vontade.

    0
  • ROGER AUGUSTO RODRIGUES Cuiabá - MT

    Não poderia ser pior a escolha. Uma lider que assistiu todo este problema de demarcação de terras indígenas pelo país e nunca esteve a frente de luta, nunca pisou no Posto da Mata nem no MS, com interlocução medíocre, pensando acima de tudo nos próprios interesses. Não passa de uma pelega egoísta. A interlocução dela será do tipo me desculpe, com licença, etc. Não podemos ter liderança a serviço do governo. São coisas incompatíveis. Aliás, inaceitável se perpetuar no poder. No máximo dois mandato e passe o bastão. Não concordo e não apoio a Katia no ministério. Ou é nossa líder de verdade ou é pelega!!!!!!!

    0
  • Almir José Rebelo de Oliveira Tupanciretã - RS

    Estou observando a possibilidade da Senadora e Presidente da CNA Kátia Abreu vir a ser Ministra da Agricultura do governo Dilma. Lembro que numa eleição do Lula, todos os Estados produtores de alimentos não votaram nele, e ele, manifestou interesse que Blairo Maggi fosse o interlocutor do agronegócio que ficara distante do governo Lula. Acompanhando o trabalho da Senadora Kátia, entendo que ela pode fazer muito mais do que vem fazendo na defesa do agronegócio vindo a ocupar o Ministério da agricultura. A participação dela na grande discussão sobre os Transgênicos e no Código Florestal foi importante. Entendo que é hora de pensar no futuro como disse Aécio Neves e finalmente ocuparmos o comando Político desse Ministério da atividade que está sustentando o País mas está subjugado ao comando de pessoas não preparadas e sem expressão para tão importante cargo. Como representante dos produtores de soja transgênica do Rio Grande do Sul e do Brasil apoiaremos a Senadora e presidente da CNA Kátia para ser Ministra, mas vamos acompanhá-la, subsidiá-la e cobrá-la a ser a grande Ministra que o Agronegócio merece. Conte conosco Kátia Abreu!

    0