Grãos: Mercado despenca em Chicago após números do USDA

Publicado em 12/01/2012 14:05 1796 exibições
Os futuros dos grãos negociados na Bolsa de Chicago estão despencando nesta quinta-feira após a divulgação do relatório de oferta e demanda do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos).

A soja abriu o pregão regular com quase 50 pontos de baixa, porém, foi recuperando parte das perdas e às 15h já operava com um recuo de pouco mais de 30 pontos. O milho, no entanto, trabalha no limite de baixa - com 40 pontos negativos - desde a abertura da sessão.

O departamento norte-americano trouxe números maiores para a produção e estoques de soja nos Estados Unidos, além de estimativas maiores para a safra de milho. Já os dados para os estoques finais de cereal dos EUA foram ligeiramente reduzidos.

Veja a notícia com os números do USDA:

>> USDA aumenta estimativa para estoques finais de soja e reduz para o milho

Os números, de acordo com o analista de mercado Steve Cachia, da corretora Cerealpar, surpreenderam uma vez que vieram acima das expectativas dos traders. Porém, Cachia acredita que essa alta vista hoje pode ser um pouco "exagerada", já que as cotações ainda contam com a influência do clima adverso na América do Sul.

"A psicologia do mercado hoje é de liquidar posições (...) o estopim para os preços hoje foi esse relatório do USDA", completou. O analista disse ainda que apesar desse quadro negativo de curto e médio prazo, mapas climáticos mostram que os próximos 5 ou 6 dias deverão voltar a ficar secos no Sul do Brasil e também na Argentina, fato que deve trazer novamente suporte ao mercado internacional de grãos. Diante disso, o que se pode esperar é muita volatilidade, como salientou Cachia.

Clique nos link abaixo e confira um resumo do relatório do USDA feito pela Cerealpar e em seguida uma entrevista com Steve Cachia ao Notícias Agrícolas:

>> Cerealpar: USDA Oferta e Demanda - Janeiro/2012

>> Entrevista com Steve Cachia no Notícias Agrícolas 1ª Edição

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário