CBOT: Soja encerra o noturno com baixas de mais de 25 pontos

Publicado em 14/05/2012 10:34 1745 exibições
A soja encerrou o pregão noturno desta segunda-feira com perdas superiores a 25 pontos na Bolsa de Chicago entre os principais vencimentos. Os futuros da oleaginosa estenderam as perdas de quase 50 pontos da última sexta-feira e perderam o patamar dos US$ 14 por bushel. O vencimento julho fechou a sessão valendo US$ 13,80, recuando 25,25 pontos, e o novembro, a US$ 13,04, com baixa de 16,75 pontos. O trigo também fechou o pregão em queda. 

O mau humor do financeiro, novamente, tomou conta dos mercados e as commodities agrícolas voltaram a refletir o momento delicado da economia mundial. Hoje, as principais bolsas de valores da Europa abriram o dia com expressivas quedas refletindo a crise política e financeira pela qual passa o continente e continuam operando no vermelho.

Segundo uma notícia da Veja, as ações na Europa caíram para o nível mais baixo em quatro meses por conta do impasse político pelo qual passa a Grécia e também em função de sinais de uma desaceleração econômica na China, que atinge os ativos de maior risco. 

Paralelamente, o mau desempenho dos mercados foi esimulado ainda por uma notícia de que a Espanha registrou, em abril, um novo recorde da dívida dos bancos ao alcançar 263,5 bilhões de euros. A dívida pública italiana também bateu um novo recorde em março. 

Além disso, dados atualizados mostram que a produção industrial da Zona do Euro recuou 0,3% em março, e 0,4% em toda a União Europeia em relação ao mês anterior. Os dados negativos também devem influenciar o mercado nesta segunda-feira. 

O cenário continua sendo de incertezas. O impasse de formar um novo governo grego aumenta as possibilidades de que o país não consiga arcar com seus compromissos financeiros e nem com as condições de seu plano de resgate financeiro com a União Europeia e o FMI. 

Já na China, a decisão anunciada no sábado de reduzir o valor que os bancos devem ter como reserva acrescentou temores de que possa haver uma piora na perspectiva da economia global. Geralmente, porém, a medida é vista como pró-crescimento. 

Milho - Ao contrário da soja, o milho encerrou o pregão noturno com leves ganhos. Segundo analistas ouvidos pela agência internacional Bloomberg, o declínio dos preços na semana passada atraiu compradores, influenciou positivamente a demanda e, por consequência, os preços do cereal. 

Na última sexta-feira, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) anunciou a venda de 300 mil toneladas de milho para destinos não revelados. "As baixas no milho foram dramáticas. Esse ritmo de recuo dos preços deverá estimular ainda mais a demanda", disse o economista especializado em agronegócio do Banco Nacional da Austrália, Michael Creed. 
Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário