Soja foca demanda e volta a subir na CBOT; financeiro preocupa

Publicado em 15/05/2012 13:34 976 exibições
A soja voltou a subir,  fechou o pregão noturno desta terça-feira com ganhos de dois dígitos na Bolsa de Chicago. Nos principais vencimentos, as altas ficaram entre 15 e 19 pontos. O contrato julho recuperou o patamar dos US$ 14 e encerrou a sessão valendo US$ 14,05, subindo 18 pontos. 

Analistas ouvidos pela agência Bloomberg afirmam que a recuperação dos preços se deu, em partes, por conta do aumento das exportações de soja tanto do Brasil quanto dos Estados Unidos. Esse incremento nas vendas reduz, cada vez mais, os estoques já bastante apertados da oleaginosa. 

Ontem, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulgou seu relatório de inspeções de exportações reportando embarques de soja pelos portos norte-americanos acima das expectativas do mercado. Os embarques norte-americanos de soja somaram 552,8 mil toneladas na semana encerrada no último dia 10 e ficaram bem acima do embarcado na semana anterior, 291,6 mil toneladas. 

No Brasil, a Céleres Consultoria informou que, até o último dia 11, os sojicultores brasileiros já haviam comercializado 83% da safra, volume bem maior do que os  63% registrados neste mesmo período do ano passado. 

"Entre as oleaginosas, os estoques mundiais irão ficar bem apertados nos próximos 12 meses, deixando o mercado bem suscetível a um importante rally de preços", disse Paul Deane, analista de um importante banco de investimentos australiano. 

No último relatório de oferta e demanda do USDA, divulgado dia 10 de maio, o departamento estimou seus estoques finais da safra 11/12 em pouco mais de 5 milhões de tonelada. Em sua primeira projeção para a safra 12/13, o esperado é que os estoques fiquem em aproximadamente 3,94 milhões de toneladas. 

Mercado Financeiro - No entanto, apesar dessa alta vista hoje, o mercado ainda exige cautela por conta da frágil e preocupante situação da macroeconomia. Os negócios no mercado financeiro ainda estão bastante sensíveis às notícias vindas da Europa, principalmente sobre a crise política na Grécia, e caminham por um viés negativo. 

Nesta terça-feira, as bolsas europeias reverteram seus ganhos iniciais e chegaram a registrar o menor nível desde o início de 2012 por conta da falta de um acordo para um governo de coalizão na Grécia. Por conta desse impasse, o país passará por novas eleições. Os principais índices acionários europeus encerraram o dia no vermelho. 

Como noticiou o Valor Econômico, a principal divisão entre os partidos é se o país deve ou não manter as severas medidas de austeridade exigidas por seus parceiros europeus em troca de um pacote de ajuda de 130 bilhões de euros fechado para garantir que o país pague suas contas e siga na zona do euro.
Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário