Seca nos EUA: Acompanhe o vídeo da equipe da AgRural nas lavouras afetadas

Publicado em 27/07/2012 09:55 6945 exibições
Amparados por um seguro, produtores norte-americanos têm renda garantida, mesmo com quebra da safra.
A equipe da AgRural está realizando um tour pelo Meio-Oeste dos Estados Unidos avaliando o andamento da nova safra de soja e milho do país e os prejuízos que vêm sendo causados por uma das piores estiagens da história norte-americana. Os estados visitados foram da porção leste do Corn Belt, sendo eles Michigan, Ohio, Indiana e Illinois. 

Em conversa com produtores e analistas de mercado, o balanço desta primeira parte do tour é de que a cultura mais prejudicada é a do milho, já que a falta de chuvas afetou as plantações durante a polinização, período em que a presença da água é fundamental. 

Já para a soja, ainda há potencial, porém, não para uma safra cheia. Apesar de também sentir os efeitos da seca, a oleaginosa foi plantada depois e por isso sofre menos do que o cereal. Mas é necessário que cheguem aos estados produtores, imediatamente, chuvas volumosas e regulares o suficiente para conter os danos. 

Seguro - Apesar de se tratar de uma situação dramática, os produtores norte-americanos estão tranquilos, pois podem contar com um seguro. Caso a safra fosse cheia, um produtor do norte do estado de Indiana receberia cerca de US$ 1006 por hectare, com o seguro de proteção de renda com 80% de cobertura garante um ganho líquido de US$ 556 mesmo que não colha nada. 

Como disse o produtor Brian Nunemaker, da cidade de Bronson, em Michigan, e que também planta em São Gabriel do Oeste, no Mato Grosso, essa é a diferença de se produzir no Brasil e nos Estados Unidos. 

Acompanhe o vídeo abaixo com a passagem da equipe da AgRural pelo cinturão produtor dos Estados Unidos e veja os estragos causados pela estiagem, a pior em mais de 100 anos. 

Tags:
Por:
Carla Mendes e Daniele Siqueira
Fonte:
Notícias Agrícolas + AgRural

4 comentários

  • Noedir José Karam Marcondes (Diamantino/MT) Diamantino - MT

    sera que na região do algodão tbem esta seco,

    não se fala nada em algodão dos gringos.

    0
  • Bertholdo Fernando Ullmann Patos de Minas - MG

    VILSON AMBROZI, essa comparação que o amigo fez foi simplesmente maravilhosa. Aos "criminosos", o oficial de justiça.

    0
  • Vilson Ambrozi Chapadinha - MA

    Aqui por ocasião de seca,nos seguramente receberemos o oficial de justiça.

    0
  • Everson M. Danguy Tuneiras do Oeste - PR

    Vejam quanta diferença mesmo com tanta perda em suas lavouras os agricultores ainda estao de certa forma satisfeitos com lucros que esperam receber,essa é a diferença em si plantar em um pais em uma sociedade que dá valor no agricultor,se fosse aqui no brasil a história seria muito diferente,,,

    0