Grãos: À espera de novos números do USDA, mercado fecha o dia na defensiva

Publicado em 09/10/2012 16:54 e atualizado em 09/10/2012 17:27 956 exibições
A soja encerrou esta terça-feira (9) com ligeiros ganhos na Bolsa de Chicago. Os futuros da oleaginosa registraram uma sessão de bastante volatilidade, chegaram a subir mais de 10 pontos nos principais vencimentos, porém, no final do pregão foram devolvendo parte dos ganhos e terminaram o dia com altas entre 1,25 e 2,25 pontos. 

A volatilidade já vinha sendo esperada para essa semana, já que nesta quinta-feira (11), o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulga seu novo relatório de oferta e demanda, tirando parte do direcionamento do mercado. À espera da atualização desses números, portanto, o mercado acaba operando na defensiva, com muita cautela. 

Como explica Glauco Monte, analista de mercado da FC Stone, o mercado deverá ficar atento aos números de produtividade das lavouras de soja dos Estados Unidos, que devem vir um pouco melhor do que o reportado em setembro. Entretanto, não só a oferta deverá ser revista, como também a demanda, balanceando os números. 

“Todas as consultorias privadas aumentaram as expectativas para os rendimentos da soja, mas por outro lado, as exportações da oleaginosa estão boas, então o relatório deve ajustar a demanda não só na exportação, mas também no esmagamento, o que balancearia os números”, disse.  

Monte explica ainda que o mercado, porém, já teria precificado esse possível aumento da produção norte-americana e que estaria agora à espera de novidades sobre a demanda, que se mantém bastante aquecida. Nesta terça, o USDA divulgou seus dados sobre os embarques semanais de soja, que vieram bastante positivos, contribuíram para o suporte do mercado e confirmaram essa procura ativa pela oleaginosa norte-americana. 

“Talvez a exportação esteja sendo subestimada, o relatório pode mexer nesse número e a chance pode ser agora com esse aumento na produção, o órgão teria uma chance de aumentar a demanda e ajustar para ficar mais próxima da realidade que vem acontecendo nos EUA semana a semana”, explicou. Ao final da colheita norte-americana, aproximadamente 100% da safra de soja já estarão comercializados. 

Milho - O milho também fechou a terça-feira próximo da estabilidade, com altas que não chegaram a 1 ponto. O mercado também se mostra sem direcionamento à espera desses novos números que serão trazidos pelo USDA na quinta-feira. 

Segundo Glauco Monte, a expectativa é de que o departamento não altere suas estimativas para a produtividade do milho, ao contrário do que deverá ser divulgado sobre os estoques finais. “As exportações de milho não estão tão ativas como na soja, então para compensar o USDA poderia reduzir os estoques iniciais, mas diminuir a demanda, o que deixaria os estoques finais muito próximos do último relatório”, disse o analista. 

Trigo - Assim como a soja e o milho, o trigo registrou altas pouco expressivas na sessão desta terça-feira na Bolsa de Chicago. Os principais vencimentos terminaram os negócios com ganhos entre 1,75 e 4,50 pontos. 

O mercado do grão também segue atento à divulgação do novo relatório de oferta e demanda do USDA. Porém, o que também ainda sustenta os preços são as condições climáticas adversas na Austrália. O persistente tempo quente e seco já começa a prejudicar as lavouras em importantes regiões produtoras do país. 

Veja como ficaram as cotações no fechamento desta terça-feira:



Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário