Grãos: Mercado opera sem direção, mas fecha o dia com leves ganhos

Publicado em 08/01/2013 17:02 725 exibições
A sessão desta terça-feira (8) na Bolsa de Chicago foi marcada pela falta de uma direção definida no mercado internacional de grãos. A expectativa sobre o relatório de oferta e demanda que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulga nesta sexta-feira, 11 de janeiro, às 15h (horário de Brasília), tem deixado os negócios bastante instáveis. À espera pelos números, os investidores buscam um melhor posicionamento e acabam por trocar suas posições com mais frequência. 

No caso da soja, ao longo do dia as cotações oscilaram bastante entre os dois lados da tabela, chegando a registrar perdas e ganhos de mais de 10 pontos em um curto espaço de tempo. Porém, a sessão teve um volume de negócios reduzido nesta terça. 

Ao subir, o mercado da soja tentava sustentar uma recuperação iniciada na sessão de segunda-feira (7), depois das expressivas perdas das últimas semanas. Além disso, incertezas sobre a safra da América do Sul também oferecem algum suporte aos preços. 

"Na última semana do ano passado, o mercado estava olhando para a safra da América do Sul com excelentes condições. As notícias que chegavam a Chicago é de que seriam uma super safra, porém, essa semana, o que a realidade nos mostra é que na Argentina o clima já não é tão bom e isso já começa a preocupar. Aqui no Brasil, chuvas de granizo podem provocar perdas localizadas e, apesar da maioria das lavouras estar em boas condições, existem perdas localizadas. Os grandes números da safra começam a ser comprometidos", explicou o consultor da Brandalizze Consulting, Vlamir Brandalizze. 

Ao mesmo tempo, o mercado, por várias vezes, operou em território negativo, registrando movimentos de realização de lucros. O pregão desta terça foi iniciado com preços em baixa depois dos expressivos ganhos na sessão anterior, quando a soja encerrou com mais de 20 pontos positivos. 

Paralelamente, há ainda, como explicou o analista de mercado da PHDerivativos, Pedro Dejneka, um rebalanço dos fundos indexadores começando nesta terça, no fechamento do mercado. "Fundos indexadores rebalançam suas posições no início do ano baseado em "pesos" percentuais de quanto de cada commodity terá no seu índice. Este ano, espera-se venda no trigo e compra no farelo de soja em particular. Então há um maior interesse em se comprar farelo antes da entrada dos fundos, por isso se vê o farelo subindo e óleo de soja descendo", reforçou. 

Milho e Trigo - Os mercados do milho e do trigo também aguardam pelos novos números de oferta e demanda do USDA. Entretanto, a oscilação entre os campos positivo e negativo dos grãos não foi tão expressiva quanto a da soja na sessão desta terça-feira. 

Segundo analistas, no caso do milho, o mercado foi sustentando, em linhas gerais, por vendas técnicas diante das expectativas de que o boletim do departamento norte-americano irá reduzir as estimativas para a produção dos EUA no ciclo 2012/13. 
Por outro lado, há ainda uma projeção de que as exportações do país serão reduzidas em relação ao volume reportado no relatório anterior. 

Já no mercado do trigo, a recuperação vem sustentada em preocupações com o clima adverso no Cinturão Produtor dos Estados Unidos. 

Veja como ficaram as cotações no fechamento desta terça-feira (8):



Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário