Publicidade

Reconhecimento dos nematoides é importante para controle destes inimigos da lavoura de soja

Publicado em 07/02/2013 10:49 522 exibições
Produtor que não quer ter dor de cabeça com os nematoides e nem prejuízos com estes inimigos deve saber reconhecer quais espécies estão atacando sua lavoura. Quem faz o alerta é Rosangela Silva, pesquisadora da Fundação de Apoio à Pesquisa Agropecuária de Mato Grosso, Fundação MT e palestrante nos Dias de Campo 2013.

Ela diz que muitos produtores tem dificuldade em identificar os tipos de nematoides. É preciso identificar quais e quantos destes patógenos estão presentes em cada campo de produção para que medidas adequadas de controle sejam adotadas. “Há diferentes formas de manejo depende da espécie do nematoide”.

Os nematoides Heterodera glycines e Pratylenchus brachyurus são, de acordo com a pesquisadora, os mais frequentes nas lavouras de Mato Grosso. Eles já estão disseminados em muitas lavouras no estado e se não controlados poderão aumentar o grau de agressividade.

“Os nematoides são patógenos que uma vez detectados, os produtores terão que sempre conviver com eles, porém terão que estar à frente, sempre utilizando medidas de manejo que façam com que eles fiquem sempre em populações abaixo do nível de danos econômico.”

Um conjunto de medidas que incluem ferramentas biológicas, químicas, cultural e genética devem, segundo Silva, ser usadas para reduzir as populações dos nematoides. “Uma só medida não resolve. Tem que adotar um conjunto”, ressalta.

A pesquisadora explica que as ferramentas biológicas devem ser adotadas, para que a microfauna do solo seja favorecida; a cultural deve ser usada com plantas não hospedeiras, que não alimenta os nematoides e que contribua para aumento da matéria orgânica; a genética deve ser praticada para que não possibilite a multiplicação dos nematoides ou que não lhes permita multiplicar em sua plenitude; e a química, para que possam possibilitar um período de proteção inicial às raízes, e essas possam conseguir melhor desenvolvimento.

“Produtor e equipe devem lembrar que os nematoides são patógenos que exige atenção continuada e sempre que esquecidos irão roubar sua produção. Para que possam produzir na presença deles é necessária à adoção conjunta de ferramentas de manejo”, recomenda.

Na palestra que faz nos Dias de Campo, Silva apresenta dados de pesquisa e experiências obtidas ao longo do período de vivência no Estado de MT com os nematoides. Ela é doutora em nematologia e integra a equipe de pesquisadores da Fundação MT desde janeiro deste ano com o objetivo de ajudar o produtor do estado a ter maior controle com estes invasores. Ela desenvolverá juntamente com outros pesquisadores da instituição, estudo sobre causas, danos e manejo dos nematoides.

Dias de Campo – Já ocorreu em sete regiões produtoras de Mato Grosso. Os próximos eventos serão: dia 09 na Fazenda Cachoeira em Itiquira, dia 14 em Querência e dia 16 em Canarana. Inscrições para participar do Dia de Campo são gratuitas e podem ser feitas no local do evento. Mais informações em www.fundacaomt.com.br.
Tags:
Fonte:
Fundação MT

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário