Grãos iniciam semana continuando realização de lucros na CBOT

Publicado em 25/03/2013 07:31 e atualizado em 25/03/2013 11:43 1203 exibições
Nesta segunda-feira (25), a soja dá continuidade ao movimento de realização de lucros da última sexta (22) e, por volta das 11h20 (horário de Brasília) operava com perdas entre 3,75 e 6 pontos nas posições mais curtas negociadas na Bolsa de Chicago, e o contrato setembro/13, que mais cedo operava em alta, também recuava.  

Nesta quinta-feira, 28 de março, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulga seu novo relatório de estoques trimestrais e a espera por esses números acaba tirando parte da direção do mercado. A expectativa é de que o departamento indique as reservas norte-americanas mais ajustadas e, caso isso se confirme, o cenário poderá oferecer um suporte para uma recuperação dos preços da soja no mercado internacional, segundo analistas.

Além disso, em análises técnicas, especialistas afirmam que o mercado já não conta com uma tendência bem definida a longo prazo e que espera por novas informações para definir uma direção. 

No mesmo compasso de espera pelo USDA, os mercados do milho e do trigo também operam em baixa, porém, próximos da estabilidade, registrando perdas pouco expressivas. 

Veja informações sobre o fechamento desta sexta-feira:

Após recuperação, soja fecha semana no vermelho em Chicago

A sessão desta sexta-feira (22) na Bolsa de Chicago foi de realização de lucros para o mercado da soja. Os preços terminaram o dia com baixas entre 7,50 e 11,25 pontos, registrando uma correção técnica depois das altas de quase 30 pontos no pregão anterior. Para os analistas, esse recuo reflete um movimento normal do mercado, ainda mais em um momento em que não há uma direção e uma tendência definidas para os negócios. 

Além dessa realização de lucros, os investidores ainda se mostraram mais cautelosos frente ao final de semana e à espera pelos novos números que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulga na próxima quinta-feira, 28 de março. O departamento traz os novos dados sobre os estoques trimestrais de grãos no país e o que se espera é que estejam ainda mais ajustados. 

Para alguns analistas, o mercado já estaria precificando essas informações e isso foi o que limitou as baixas em Chicago na sessão desta sexta. Ao longo do dia, as cotações chegaram a cair mais de 12 pontos nos principais vencimentos. Segundo o operador de mercado Flávio Oliveira, da McDonald & Pelz, esse boletim já confere um pré-posicionamento ao mercado e caso se confirmem esses baixos estoques, abaixo das expectativas do mercado, o cenário será favorável a uma recuperação dos preços. 

Entre os fundamentos, o quadro permanece o mesmo e positivo e as notícias principais vêm da demanda. "Há compras acontecendo em todos os lugares. A China precisa continuar comprando, as margens de esmagamento estão positivas, mas o grande problema é que originar soja nos Estados Unidos está difícil pelos baixos estoques e pela dificuldade com o frete no país porque há 212 navios esperando para embarcar soja no Brasil", diz Daniel D'Ávilla, analista da New Edge. Os gargalos logísticos também acabam sendo, portanto, fator de suporte para os preços no mercado interno. 
Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

1 comentário

  • diogo patua barreiras - BA

    É sempre assim, na hora da colheita fazem de tudo pra derrubar o preço do produto para o agricultor. Mas, agricultor que se preza não cai em contos de analistas de mercado vendidos, que tentam fazer da mentira uma verdade e distorcem as verdades. O Brasil tem problemas de logística sim, mas, o motivo pela qual os navios não conseguem carregar é pelas chuvas que estão acontecendo nos principais portos de Santos e Paranaguá. Os 212 navios não estão aqui á toa. Vai buscar soja a onde. Nesse momento agricultor que se preze não deve vender nenhum grão.

    0