Publicidade

Grãos: Previsão de melhora no clima dos EUA pesa sobre mercado

Publicado em 22/04/2013 12:35 1565 exibições
Na sessão desta segunda-feira (22), os futuros dos grãos negociados na Bolsa de Chicago seguem operando em queda e vêm ampliando suas perdas. Por volta das 11h55 (horário de Brasília), a soja perdia entre 13,25 e 16,75 pontos nos contratos mais negociados, o milho entre 5,75 e 13 pontos, e o trigo mais de 15 pontos. 

O dia é de realização de lucros para o mercado internacional de grãos. Como explicou Vlamir Brandalizze, consultor da Brandalizze Consulting, os negócios buscam por novas informações que sejam capazes de estimular altas. "Quando o mercado (da soja) se aproxima dos US$ 14,30 para o contrato maio, já começa a liquidar posições com as ondas técnicas de vendas em busca de lucro", disse.

Além da realização de lucros, novas previsões indicando uma melhora nas condições climáticas dos Estados Unidos também pressionam os preços. O que se espera é que o clima fique mais firme nos próximos dias, permitindo que o plantio do milho, que já foi iniciado, evolua mais expressivamente. 

As notícias de um agravamento do surto de gripe de aviária na China também atuam como fator de pressão negativa para os preços. Já são contabilizados mais de 103 casos e as mortes chegam a 20, de pessoas de 58 a 81 anos. Em função da doença, o consumo de carne de frango vem caindo com intensidade no país, o que já resulta em um queda de 5% nos preços nas últimas semanas. 

O temor do mercado é de que essa redução no consumo de carne possa reduzir a produção frangos, diminuindo, consequentemente, um menor uso de soja, farelo, milho e trigo na produção da ração animal. 

No entanto, apesar da intensa baixa registrada hoje, Brandalizze acredita que os preços já devam voltar a subir amanhã, principalmente no caso da soja, uma vez que os fundamentos permanecem positivos. A demanda mundial por soja volta seu foco principal aos Estados Unidos, onde a oferta é muito escassa e quase 100% do volume projetado para exportação já foi vendido quando ainda faltam seis meses para o término do ano comercial. 

"Os fundamentos ainda são positivos e é provável que no relatório de exportações dessa semana, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) já confirme soja e farelo com mais de 100% do volume projetado exportado, e o mercado conta com essa faísca para se manter nos atuais patamares", diz o consultor. 
Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

1 comentário

  • salvador reis neto Santa Tereza do Oeste - PR

    caro liones obrigado por sanar as duvidas que no dia a dia afligem nos produtores com certeza continuaremos contando com seus conhecimentos.

    0