Soja: Forte alta do dólar reduz ritmo de negócios

Publicado em 03/06/2013 10:25 718 exibições

A forte valorização do dólar frente a uma cesta de moedas na semana passada reduziu o ritmo de negócios envolvendo soja, tanto no Brasil quanto no mercado externo, segundo informações do Cepea. Em termos mundiais, a valorização do dólar deixou agentes cautelosos e gerou instabilidade nas cotações. No Brasil, a alta no câmbio torna a soja nacional mais competitiva, mas esse fator ainda não refletiu em novos negócios, uma vez que a maior parte dos sojicultores brasileiros já está capitalizada e prefere aguardar preço maior. Além disso, os feriados nos Estados Unidos (dia 27, Memorial Day) e no Brasil (dia 30, Corpus Christi) deixaram o mercado praticamente nominal. Entre 24 e 31 de maio, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa (produto transferido para armazéns do porto de Paranaguá), em moeda nacional, ficou estável, a R$ 64,52/sc de 60 kg na sexta-feira. Ao ser convertido para dólar, moeda prevista nos contratos futuros da BM&FBovespa, o Indicador fechou a US$ 30,05/sc de 60 kg, forte queda de 4,51% no mesmo período. A média ponderada das regiões paranaenses, refletida no Indicador CEPEA/ESALQ, teve elevação de 3,37% entre 24 e 31 de maio, finalizando a R$ 63,18/sc de 60 kg.

Tags:
Fonte:
Cepea

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário