Chicago: Soja opera com volatilidade e milho ainda recua nesta 2ª

Publicado em 05/08/2013 13:07
988 exibições

Os contratos futuros da soja registram uma sessão de volatilidade nesta segunda-feira (5) na Bolsa de Chicago. Após encerrar o pregão eletrônico em queda, as principais posições tentam se recuperar na sessão regular e, por volta de 12h40 (horário de Brasília), apenas o contrato setembro/13 recuava, enquanto os demais subiam mais de 5 pontos. O novembro/13, referência para a nova safra norte-americana, era cotado a US$ 11,87, com alta de 6,25 pontos. 

O mercado, segundo analistas, ainda observam as boas condições de clima nos Estados Unidos e por isso sentem ainda algum impacto negativo na formação dos preços. Porém, depois das últimas quedas, as cotações buscam uma estabilidade e os investidores procuram se posicionar melhor, por isso o mercado tenta consolidar uma recuperação, uma vez que esses preços já se aproximam das mínimas em alguns casos. 

Para o consultor de mercado Liones Severo, do SIMConsult, o mercado reflete ainda um movimento dos fundos de investimento, com uma maior posição na ponta compradora do mercado. Além disso, afirma ainda que o mercado observa também o clima nos EUA e espera por uma definição mais clara da nova safra norte-americana. 

"A baixa desses dias é comum. Porém, o mercado deverá registrar uma melhora que aconteceria no final de agosto no início de setembro já que a safra dos EUA está atrasada, é isso que mostra o histórico do mercado", diz. 

Severo afirma ainda que, no mercado da soja, a severa seca que atinge a China não deve deve causar muito impacto na formação dos preços em Chicago, haja vista que a produção do país é pequena. 

No entanto, afirma que esse poderia ser um fator positivo para o milho, já que a estiagem castiga as lavouras chinesas em uma importante fase de desenvolvimento que é a da polinização. "O mercado ainda não computou isso, mas os chineses vão entrar comprando muito milho e vão continuar comprando trigo", afirma o consultor. 

Porém, na sessão desta segunda-feira, os preços do cereal amargam mais uma sessão de queda, com baixas entre 6 e 8,75 pontos nos principais vencimentos. Segundo analistas ouvidos pela agência Bloomberg, nesta segunda, os preços do milho recuam para seus menores patamares desde 2010 frente às expectativas de uma grande safra vindo dos Estados Unidos na temporada 2013/14. 

As condições de clima permanecem favoráveis nas principais regiões produtoras norte-americanas. Na primeira metade de agosto, mês determinante principalmente para a cultura da soja, as temperaturas deverão ficar próximas ou abaixo do normal no Meio-Oeste norte-americano. Assim, a fase de polinização e a umidade do solo deverão ser favorecidas principalmente nas áreas sul e leste do Cinturão, de acordo com o o instituto de meteorologia DTN. 

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário