Soja tem manhã de queda nesta 3ª feira com plantio nos EUA

Publicado em 03/06/2014 07:50 1948 exibições

Apesar de fundamentos ainda muito positivos, o mercado internacional da soja vem registrando uma significativa volatilidade nas últimas semanas diante da evolução da nova safra dos Estados Unidos. Assim, depois de fechar em campo misto ontem, os futuros da oleaginosa recuam no pregão eletrônico desta terça-feira (3) na Bolsa de Chicago. Por volta das 7h40 (horário de Brasília), os principais vencimentos perdiam entre 2 e 9,75 pontos. 

As cotações sentem a pressão do bom andamento do plantio da safra norte-americana, que já apresenta índices de plantio tanto para a soja quanto para o milho acima da média histórica dos últimos anos. 

Nesta segunda-feira (2), o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), reportou seu novo boletim de acompanhamento de safras com números até o último domingo, 1º de junho. 

O plantio da soja evoluiu, em uma semana, de 59 para 78% e o índice ficou acima da média dos últimos cinco anos para o período, que é de 70%. Já no mesmo período do ano passado, o percentual plantado era de 55%. 

O USDA informou também que 50% das lavouras de soja já emergiram, frente à uma média de 25% para esse período do ano. Em 2013, nesse mesmo período, apenas 29% das plantações já registravam essa fase.

Já o plantio do milho nos Estados Unidos está quase finalizado e já alcança 95% da área. No estado do Texas, por exemplo, a semeadura já foi concluída. O índice para este ano está bem próximo da média para o período, que é de 94%, e do registrado no ano passado - 90%.  

Além disso, o boletim do departamento mostrou também que 76% das lavouras do cereal estão em boas ou excelentes condições, 22% estão em situação regular e 2% estão em condições ruins ou muito ruins.

Ao mesmo tempo, porém, a demanda pela soja norte-americana segue muito intensa e números do USDA, também divulgados nesta segunda-feira, confirmaram um cenário apertado nos Estados Unidos. "Já estão com 42 milhões de toneladas embarcados, diante de 43,5 (mi de toneladas) programadas, ou seja, ainda tem 13 semanas para fechar o ano comercial e faltam apenas 1,5 milhão de toneladas para embarcar", explica Vlamir Brandalizze, consultor de mercado da Brandalizze Consulting. 

Com isso, o consultor acredita que o mercado pode vir a atingir o patamar dos US$ 16,00 por bushel, apesar de ainda operar com algumas barreiras para romper entre os US$ 15,10 e US$ 15,70. Esse alcance, portanto, ainda é dependente de novas informações que possam estimular esse movimento. 

 

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário