Soja tem baixas de dois dígitos na Bolsa de Chicago nesta 5ª feira

Publicado em 05/06/2014 13:17 1859 exibições

O mercado internacional da soja ampliou suas perdas na sessão regular desta quinta-feira na Bolsa de Chicago e, por volta de 12h30 (horário de Brasília), as posições mais negociadas trabalhavam com perdas de dois dígitos. O contrato julho/14 valia US$ 14,68 por bushel. 

As cotações passam por uma forte correção técnica nesta semana, com fundos de investimento aproveitando os recentes bons preços para realizarem seus lucros. Nos últimos dias, os fundos, segundo analistas, têm vendido suas posições nos contratos mais curtos, julho principalmente, e comprando os mais longos, como o novembro que é referência para nova safra norte-americana. 

Além disso, o mercado sente ainda a pressão do bom desenvolvimento da produção nos Estados Unidos. O plantio da temporada 2014/15 tem evoluído acima da média dos últimos anos e as perspectivas são de uma colheita de mais de 98 milhões de toneladas de soja no país. 

As condições climáticas nos Estados Unidos, principalmente no Meio-Oeste, maior região produtora de grãos do país, têm se mostrado bastante favoráveis para o desenvolvimento das lavouras e as previsões indicam a continuidade desse quadro para os próximos dias. Diante disso, portanto, se acentua a pressão sazonal que o mercado sente nesse período do ano por conta do início da nova safra dos EUA. 

Paralelamente, os números das exportações semanais dos Estados Unidos divulgados nesta quinta-feira pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) vieram bem abaixo do registrado na semana passada, o que também pesou sobre os negócios. 

As vendas líquidas de soja da safra 2013/14 dos Estados Unidos vieram em 41,3 mil toneladas, apresentando um recuo de 32% em relação aos números da semana passada e menor ainda em 51% em relação à média das últimas quatro semanas. Apesar disso, o volume aumentou o total acumulado de exportações no ano comercial, o que confirma a continuidade da força da demanda e dos fundamentos, que, segundo analistas, devem manter os preços sustentados até o início de agosto. 

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário