Soja: Com correção técnica, mercado volta a subir na CBOT

Publicado em 05/09/2014 12:37 1362 exibições

Os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago (CBOT) trabalham em campo positivo na sessão desta sexta-feira (5). Por volta das 12h11 (horário de Brasília), as principais posições da oleaginosa registravam ganhos entre 3,50 e 5,75 pontos. O contrato novembro era cotado a US$ 10,07 por bushel, após ter alcançado o menor patamar dos últimos quatro anos, de US$ 10,01 por bushel.

De acordo com o consultor de mercado da Brandalizze Consulting, Vlamir Brandalizze, o mercado esboça uma correção técnica depois das perdas recentes. "É um movimento técnico de correção, já que o preço está muito barato", ratifica.

Somente nos dois últimos pregões, quarta e quinta-feira, os vencimentos novembro/14 e março/15 acumulam perdas de 2,81% e 2,77%, respectivamente. Depois do feriado do Dia do Trabalho, comemorado na última segunda-feira (1) nos EUA, o mercado recuou expressivamente com foco na safra norte-americana.

Frente ao clima favorável ao desenvolvimento da safra, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) reportou no início da semana que, em torno de 72% das lavouras apresentam boas ou excelentes condições. Na semana anterior, o índice era de 70%. 

Com isso, as expectativas dos participantes do mercado é que a safra norte-americana fique acima do esperado inicialmente. Há especulações de que a produção de soja da safra 2014/15 totalize 107 milhões de toneladas. Em viagem ao Meio-Oeste, a jornalista Carla Mendes, do Notícias Agrícolas, informou que a produtividade das plantações podem chegar até a 68,05 sacas por hectare nesta safra.

Entretanto, segundo informações reportadas pela agência internacional de notícias Bloomberg, nesta sexta-feira, os investidores também estão atentos ao clima, já que as temperaturas deverão ficar mais baixas na próxima semana nos EUA e, é possível a ocorrência de geada em algumas partes da Dakota do Norte. "Há uma preocupação muito real: a possibilidade de uma geada precoce", disse o economista Dennis Gartman, em entrevista à Bloomberg. 

Vendas para exportação 

Nesta sexta-feira, o USDA reportou novo boletim de vendas para exportação. No caso da soja, referente à safra 2013/14, as exportações mais uma vez ficaram negativas em 87.700 mil toneladas, até a semana encerrada em 28 de agosto.

O volume representa uma redução de 40% em comparação com a semana anterior, na qual, as vendas ficaram em 62,8 mil toneladas negativas. Já as exportações para a safra 2014/15 foram reportadas em 869.000 mil toneladas, com destaque para a venda de 338,3 mil toneladas à China. O número está pouco abaixo do reportado anteriormente, de 1.290,8 milhão de toneladas. 

Ainda na visão do consultor, a venda, especialmente da safra nova é um sinal que a demanda permanece firme. "Principalmente a demanda da China, esse é um fator que também contribui para a correção nos preços", destaca Brandalizze.

Tags:
Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário