Soja segue operando em alta na Bolsa de Chicago, mas ameniza os ganhos na tarde desta 5ª

Publicado em 29/09/2016 07:56 e atualizado em 29/09/2016 14:16
1459 exibições

O movimento positivo das cotações da soja permanece na Bolsa de Chicago na tarde desta quinta-feira (29), porém, de forma menos intensa. Depois de mais cedo subirem mais de 8 pontos, por volta de 13h45 (horário de Brasília), as posições mais negociadas registravam pequenos ganhos de pouco mais de 2 pontos. Assim, o vencimento novembro/16 bateu na máxima de US$ 9,57 por bushel e voltou aos US$ 9,48. Já o maio/17, referência para a safra do Brasil, vinha cotado a US$ 9,67. 

Os traders acompanham, entre os fundamentos, o cenário de clima para o avanço da colheita da safra 2016/17 no Meio-Oeste dos Estados Unidos - que foi bem mais favorável se comparado à semana anterior - e, ao mesmo tempo, as notícias de demanda pela soja norte-americana, a qual segue forte. Somente nos últimos três dias úteis, os americanos venderam mais de 700 mil toneladas da commodity para os chineses e destinos não revelados. Nesta quinta, foi anunciada uma nova venda de mais 120 mil toneladas da safra 2016/17 para a China. 

Além disso, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) trouxe hoje seu reporte semanal de vendas para exportação com números bem acima das expectativas. 

As vendas da semana encerrada em 22 de setembro foram de 1.692,8 milhão de toneladas frente às expectativas de 1,1 milhão a 1,3 milhão de toneladas. Da safra atual, o maior comprador da oleaginosa foi a China, respondendo por 833,6 mil toneladas. E no acumulado do ano comercial, as vendas já superam em 27% as registradas no mesmo período da temporada anterior. Além desse volume da safra 2016/17, foram vendidas ainda 100 mil toneladas da safra 2017/18 para o Japão. 

Leia mais:

>> USDA: Vendas semanais de soja dos EUA ficam bem acima das expectativas

Ainda neste final de mês, em um mercado também bastante técnico e com os fundos ajustando suas posições - típico do período, segundo explicam analistas e consultores, o USDA chega com um novo reporte de estoques trimestrais e a espera pelos números acentua a volatilidade em Chicago. E essa é uma publicação, de acordo com analistas internacionais, que costuma trazer turbulências consideráveis para o mercado. Os números chegam nesta sexta-feira, 30 de setembro. 

O mercado internacional de grãos segue ainda acompanhando o andamento dos preços do petróleo. Embora o impacto ainda não tenha vindo após o ganho de 5% registrado ontem, após a Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) anunciar um acordo para segurar a produção, o acompanhamento de faz necessário, principalmente nos dias em que as notícias sobre os fundamentos não têm tanta força. 

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário