USDA: Vendas semanais de soja dos EUA ficam bem acima das expectativas

Publicado em 29/09/2016 12:16
243 exibições

Com uma demanda intensa dos importadores pelos grãos norte-americanos, o destaque do boletim semanal de vendas para exportação do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), divulgado nesta quinta-feira (29), foi a soja. As vendas da semana encerrada em 22 de setembro foram de 1.692,8 milhão de toneladas frente às expectativas de 1,1 milhão a 1,3 milhão de toneladas. Da safra atual, o maior comprador da oleaginosa foi a China, respondendo por 833,6 mil toneladas. E no acumulado do ano comercial, as vendas já superam em 27% as registradas no mesmo período da temporada anterior. 

Além desse volume da safra 2016/17, foram vendidas ainda 100 mil toneladas da safra 2017/18 para o Japão. 

As vendas semanais de derivados de soja também foram expressivas na última semana. Os EUA venderam 88,8 mil toneladas de farelo de soja, sendo 21,5 mil da safra 2015/16 - a maior parte destinada ao Panamá - e mais 67,3 mil da safra 2016/17, com o México como o maior comprador. O mercado esperava algo entre o cancelamento de 50 mil toneladas e as vendas de 230 mil. 

Os norte-americanos venderam ainda mais 16,7 mil toneladas, sendo 3,4 mil da safra velha e mais 13,3 mil da safra nova, com o México e a Colômbia com os compradores principais nesta semana. 

O USDA informou também que as vendas semanais de milho para exportação somaram apenas 575 mil toneladas, sendo o total da safra 2016/17. O volume ficou bem abaixo das expectativas do mercado de 750 mil a 950 mil toneladas, ainda assim no acumulado da temporada, as vendas acumuladas superam em 76% as da temporada anterior. O México foi o maior comprador do cereal americano na última semana.

Já os números do trigo vieram dentro do esperado. As vendas somaram 570,8 mil toneladas, contra projeções variando entre 400 mil e 600 mil toneladas, e o volume foi todo da safra 2016/17. O Marrocos foi o principal destino. No acumulado do ano comercial, as vendas americanas já superam as da safra 2015/16 em 27%.

Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário