Proibidos de utilizar sementes transgênicas, venezuelanos se consideram "atrasados" no agronegócio

Publicado em 17/10/2016 14:43
139 exibições

A Associação de Produtores Rurais do Estado de Portuguesa, na Venezuela, divulgou um comunicado alegando que o agronegócio no país está "muitos anos atrasado'. Segundo a associação, a Lei de Sementes imposta pelo presidente Nicolás Maduro é a principal responsável por este fator.

A produção de alimentos dos venezuelanos é cada vez mais escassa e a Lei de Sementes, como informa a Associação, é mais baseada em "razões ideológicas do que em razões científicas". A lei foi aprovada em 23 de dezembro de 2015 e começou a entrar em vigor em 27 de março de 2016, proibindo o uso de sementes geneticamente modificadas no país. Atualmente, a Comissão de Ciência e Tecnologia da Assembleia Nacional trabalha em um projeto oposto que reforma a lei.

No país, cresce a ideia de que não há razão para que a Venezuela proíba a utilização das sementes, que permitiriam uma maior produção e oferta de alimentos, com a mesma quantidade de terra.

No texto da associação, os produtores defendem que deve haver uma consulta a especialistas, pesquisadores e docentes universitários para que seja debatido o uso dessas sementes.

Paradoxalmente, o país consume produtos importados do Brasil, Argentina e Estados Unidos, que utilizam as sementes transgênicas.

Venezuela deve alimentar 31 milhões de pessoas

O país possui 31 milhões de habitantes e, para 2050, este número chegará a 40 milhões, segundo o Instituto Nacional de Estatísticas (INE). Neste momento, a Venezuela não consegue produzir alimento suficiente para todos os habitantes, e a situação deve piorar "se não melhorarem as condições do setor agroalimentar", aponta a associação.

Os produtores defendem a necessidade de aumentar a oferta de produção local e, com isso, defende também o uso das tecnologias necessárias para uma maior produtividade, pois "nem tudo vai se resolver com preços".

O estado de Portuguesa se encontra ao norte da Venezuela. Suas principais atividades econômicas são a agricultura e a pecuária.

Por: Izadora Pimenta, com informações do TodoElCampo.com.uy
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário