Soja testa novos ganhos em Chicago com chuvas na Argentina e preços nos portos vão a R$ 82 nesta 4ª feira

Publicado em 18/01/2017 13:09
928 exibições

O mercado internacional da soja testou uma ligeira realização de lucros na manhã desta quarta-feira (18), porém, voltou para o lado positivo da tabela na tarde de hoje, encontrando fôlego na situação preocupante da safra argentina. O excesso de chuvas continua reduzindo o potencial da temporada 2016/17 e dando espaço para as cotações consolidarem novos e melhores patamares na Bolsa de Chicago, segundo explicam analistas e consultores. 

Por volta das 13h45 (horário de Brasília), os principais vencimentos subiam pouco mais de 3 pontos, levando o maio/17, referência para a safra brasileira, a mais uma vez, superar os US$ 10,80 por bushel. No acumulado do ano, as posições março e maio/17 já acumulam um ganho superior a 7% na CBOT. 

Ao lado de um dólar de volta à casa dos R$ 3,20, as referências nos portos do Brasil também sobem. A moeda americana, perto de 14h, subia 0,08% - com ganhos mais expressivos registrados mais cedo - e era negociada a R$ 3,215. 

Leia mais:

>> Dólar opera em alta com exterior

As referências observadas nos portos brasileiros já são melhores, e atuam agora na casa dos R$ 82,00 por saca, para maio e junho. O movimento, no entanto, motivou os vendedores a revisarem seus alvos para voltar às vendas. 

"Com patamares mais fortes e alguns negócios comentados, boa parte dos produtores voltaram a posicionar suas intenções de vendas em valores maiores, na casa dos R$ 85,00. Na semana passada, víamos os preços nos portos na casa dos R$ 80,00 e, como este nível foi atingido, os vendedores elevaram seus interesses e seguraram boa parte dos negócios", diz o consultor. "E a tendência é de que o produtor não venda agora, ele deve continuar segurando suas vendas", completa. 

Veja ainda, no link a seguir, os impactos que as chuvas na Argentina têm exercido sobre o mercado:

>> Soja já acumula alta de 7% em Chicago e pode buscar os US$ 11 com chuvas na Argentina

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário