BB disponibiliza liquidação de dívidas rurais com descontos de até 95% na região da Sudene

Publicado em 23/05/2017 10:30

Os produtores que têm operações rurais contratadas até 31 de dezembro de 2011 na área de atuação da Sudene já podem procurar as agências do Banco do Brasil para liquidar suas dívidas com descontos que variam entre 20% e 95%.

A iniciativa atende a Lei 13.340, que autoriza o recálculo dessas dívidas por encargos de normalidade e a concessão de desconto para liquidação nos estados do Nordeste e das regiões norte do Espírito Santo e de Minas Gerais, além dos Vales do Mucuri e Jequitinhonha. 

A medida beneficia mais de 240 mil produtores que possuem operações que somavam até R$ 200 mil à época e atende operações adimplentes ou não. Os valores de todas as operações favorecidas somam R$ 2,6 bilhões e os descontos nestas operações ficam disponíveis até 29 de dezembro de 2017. 

Nas agências do banco, os produtores podem consultar as operações e o percentual de desconto que têm direito, além de simular o valor para liquidação da dívida. 

Até 29 de dezembro, prazo definido na Lei para liquidação das dívidas, o BB inibiu o registro de anotações restritivas, suspendeu a condição de inadimplência das operações e cancelou as ações de cobrança, exceto débito automático.

Banco do Brasil oferece desconto de 20% a 95% para liquidação de dívidas de produtores rurais na Bahia

Micro, pequenos e médios produtores de todo o estado podem ser beneficiados pelos descontos de 20% a 95% que o Banco do Brasil está oferecendo para a liquidação de saldos devedores de operações de crédito rural. O benefício tem base na Lei Federal nº 13.340 e varia conforme 3 fatores: data de contratação, valor originalmente contratado e região.

Em todo o país, cerca de 241 mil produtores poderão ser beneficiados pela medida. A Bahia tem o maior número de produtores com possibilidade de ter acesso aos descontos: mais de 61 mil clientes do BB, com financiamentos a empreendimentos localizados na área de abrangência da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).  O  valor total contratado no Estado é superior a R$ 693 milhões (o maior volume do país – cerca de 26% do total nacional).

Podem ser contempladas operações adimplentes ou não, contratadas até 31/12/2011, sendo que um mesmo mutuário poderá obter o desconto em mais de um financiamento, obedecido o teto de R$ 200 mil em valores contratados.

O secretário estadual de Agricultura, Vitor Bonfim, destacou a importância da lei que oferece descontos tão significativos para produtores. “Os baianos precisam aproveitar essa oportunidade e se dirigir às agências do BB localizadas em todo o estado para fazer essa negociação e quitar seus débitos com o banco, podendo, a partir daí, fazer novas operações de crédito”, disse o secretário.

Para o superintendente Estadual do BB na Bahia, Carlos Motta, “esta é uma oportunidade ímpar para os produtores rurais, principalmente no nosso estado. Com essa medida, buscamos dar novo fôlego ao produtor, fortalecendo uma das principais vocações do nosso país”.

Segundo a Lei, a concessão do rebate para liquidação dos financiamentos tem vigência até 29/12/2017.  “Apesar de haver prazo até o final deste ano, é muito mais vantajoso que o produtor procure o BB o quanto antes, uma vez que os juros continuam incidindo sobre os saldos até a liquidação.”, complementa Motta.

Os mutuários que possuem operações de crédito abrangidas pela lei podem procurar qualquer agência do Banco do Brasil para consultar as operações e o percentual de desconto a que têm direito, além de simular o valor a ser pago para quitação da dívida.

Fonte:
BB + Secom Bahia

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

5 comentários

  • antonio geraldo de souza gomes brasilia de minas - MG

    Procurei a Superintendencia do Banco do Brasil em Montes Claros (MG), e fui informado que não tinham ordem da direção para negociar as dividas rurais... Olhem que é região da Sudene!!!

    0
  • roberto andrea maffessoni Cascavel - PR

    Por que esperar 5, 6 anos para negociar uma divida que, sabe-se, provocada por CLIMA, PREÇOS BAIXOS PARA OS PRODUTOS, EXCESSO DE TRIBUTAÇÃO, CUSTOS DE INSUMOS ALTISSIMOS, FALTA DE SEGURO SÉRIO, NENHUMA POLITICA AGRICOLA,... em 2015/2016, TIVEMOS A MALDITA SECA, QUE TRANSFORMOU O SONHO E O PATRIMôNIO DE NÓS, AGRICULTORES, EM PÓ..., SEGURADORAS NÃO CUMPRIRAM COM O COMPROMISSO DE " CALAMIDADE SECA " E DESCONSIDERARAM OS PRODUTORES..., A MAIORIA ESTÁ INADIMPLENTE, OU COM RENEGOCIAÇÃO DE CUSTEIO, MAS COMO PAGAR ? SE VOCÊ TEM 34% DE TUA LAVOURA TRANSFORMADA EM CUSTOS FINANCEIROS ? (jrs 9,75% + seg 8,2% + iof 0,38% + projeto 0,5 a 2% + funrural 2,3% + icms 9,5%, e mais beneficios paralelos), e tem que sair do lucro o pagamento destes custeios????. MUITOS DE NÓS NÃO PLANTAREMOS ESTE ANO E OS PRÓXIMOS, POIS OS BANCOS NÃO ABREM CREDITOS PARA QUEM TEM DIVIDAS, E PORTANTO PARA QUE 5/6 anos. ? (enquanto que nos carros de passeios " taxa 0, zero " ).

    2
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Srs Marcelo e Jose' Carlos, o gesso e' um sulfato de cálcio, portanto um sal solido-----Nunca vi liquido ----So' se for diluído em agua---Mas ai' o senhor vai pagar frete para transportar agua?/

      1
  • Geovani Salvetti Ubiratã - PR

    O resto do país não é Brasil?, tem secas em regiões diversas, cada ano em uma localidade, nós do sul quase todos os anos sofremos com geadas, nós temos que arcar com o prejuízo???

    1
    • roberto andrea maffessoni Cascavel - PR

      sou agropecuarista aqui no pr e no piaui, e não estou vendo vantagem a mais por plantar lá. as mesmas condições daqui são as de lá, não tenho beneficio algum, a não ser a seca a mais, os mesmo juros daqui, são os de lá, mas as exigencias lá são muito maiores, e o seguro lá é muito mais caro, muita gente fala por falar. mas a coisa é bem diferente do que se pensa e se fala.

      2
    • domingos de souza medeiros Dourados - MS

      Dizem que urubu e preto em qualquer lugar, caro Roberto.

      0
  • Paulo Cesar Comiran Erechim - RS

    O Sul do país é só para pagar as contas?

    1
    • Carlos William Nascimento Campo Mourão - PR

      Quem tem mais voto no congresso é que manda. De onde vem a grande maioria dos deputados e senadores?

      1
    • roberto andrea maffessoni Cascavel - PR

      somos agropecuaristas aqui no pr e no pi, e não vemos onde temos diferença a mais no nordeste, só o seguro que é mais caro e mais exigente, geralmente não paga o sinistro, sempre tem alguma desculpa. mas é engano pensar que o sul sustenta quem produz no norte, nordeste. este governo podre e ladrão cria a ilusão de beneficiar o nordeste, vai lá tomar agua de pipa e tentar produzir. as mesmas condições de financiamento de custeio alem de os bancos serem mais exigentes nas garantias, é o mesmo 34%. brigam contra nós produtores, mas não contra op fato de uma maquina custar 30% de financeiro enquanto um carro de passeio na cidade o custo é " 0 ", zero. vamos mudar este foco ridiculo de que aqui sustenta o nordeste. O BRASIL INTEIRO SUSTENTA AS QUADRILHAS DO PT, EM BRASILIA ou SEJA, OS REPRESENTANTES NOSSOS. alguns deputados, senadores, e a quadrilha do pt. PENSE

      1
  • joão Lunardi SÃO JOSÉ DOS QUATRO MARCOS - MT

    Não entendi o desconto apenas para o estado da Bahia . Alguém pode me explicar ?

    1
    • Roberto Carlos Maurer Almirante Tamandaré dos Sul - RS

      Também gostaria de saber quais os financiamentos e se vale para todos os estados

      0
    • joão Lunardi SÃO JOSÉ DOS QUATRO MARCOS - MT

      O que será que os bainos tem que nós aqui do MT não temos para esse generoso 95% de perdão da dívida ?

      0
    • victor angelo p ferreira victorvapf nepomuceno - MG

      As vezes sai alguma coisa prá nós, quem sabe uma prorrogação etc e tal, vamos esperar, porque 95 por cento , nunca, necas de piti biriba....

      0
    • Rosni Visentin Ferreira Guarapuava - PR

      SOU CONTABILISTA, e, para aproveitar os descontos da lei 13340/2016, portaria 967, da pgfn, fizemos a desistencia do parcelamento, abrangido pela lei 11775/2008, para fazer a liquidação via DARF, emitido pela PGFN.

      Mas o que ocorre é que a PROCURADORIA, ou o BANCO DO BRASIL (TEL. 0800 8897013), naõ estão respeitando o prazo de cinco dias uteis, para que o sistema permita ao DEVEDOR/CONTRIBUINTE, andar com o processo, para emitir, em cada uma de suas inscriçoes em DAU, na procuradoria, o DARF correspondente, para pagar e liquidar a dívida.

      O receio é que, já fizemos a desistencia do parcelamento, e como não libera o processo de liquidação, poderemos ficar INADIMPLENTES NA procuradoria, e sofrer as consequencias dessa POSSÍVEL, INADIMPLENCIA . ...

      COM QUEM CONVERSAR ... já liguei novamente no 0800 d0 BB, já fui diversas vezes na Procuradoria, e um fica empurrando para o outro . . ...

      0