Surto de peste suína deve limitar importações de soja pela China

Publicado em 27/11/2018 11:54
165 exibições

LOGO REUTERS

Por Naveen Thukral e Hallie Gu

CINGAPURA/PEQUIM (Reuters) - As importações chinesas de soja devem cair à medida que um surto de peste suína africana atinge seu enorme rebanho de suínos e afeta a demanda pelo ingrediente para ração animal, tornando mais fácil para os compradores evitarem as cargas norte-americanas em meio à guerra comercial sino-americana.

A peste suína africana, mortal para porcos, mas não nociva para as pessoas, espalhou-se rapidamente pela China, com mais de 70 casos registrados em fazendas desde o início de agosto.

Isso e os já grandes estoques de soja estão reduzindo o apetite por grãos no que é de longe o maior importador mundial da commodity, disseram traders e analistas, o que significa que os compradores provavelmente não precisarão retomar a importação de produtos agrícolas norte-americanos tão cedo.

"Se não fosse pela peste suína, a China teria enfrentado uma escassez de grãos no início do ano que vem", disse um executivo de uma empresa de comércio internacional em Pequim.

"Agora, parece que os processadores de soja poderão ficar sem a oleaginosa dos EUA", acrescentou, recusando-se a ser identificado por não estar autorizado a falar com a mídia.

Washington e Pequim estão presos em uma guerra comercial, com a soja sendo uma das commodities no centro do conflito.

Depois de impor tarifas retaliatórias sobre as importações de soja dos EUA, a China vem tomando principalmente soja brasileira, ameaçando deixar uma colheita abundante dos EUA empilhada em armazéns ou apodrecendo nos campos.

Mas, como a demanda chinesa por soja desacelera, os prêmios de preços brasileiros também estão sofrendo, caindo para 85 centavos por bushel em relação ao contrato para janeiro na Bolsa de Chicago <SF9>, ante um pico 2,75 dólares em outubro.

"A China não compra grãos americanos há meses e agora a demanda por soja brasileira também caiu significativamente", disse um trader de Cingapura em uma empresa internacional que possui instalações de processamento de sementes oleaginosas na China.

Grandes estoques domésticos também estão desempenhando um papel importante no apetite pela soja.

Os estoques de soja da China estão em 7,45 milhões de toneladas, o maior para esta época do ano em uma década.

(Por Naveen Thukral e Hallie Gu; reportagem adicional de Dominique Patton, em Pequim, e Ana Mano, em São Paulo)

Fonte: Reuters

Nenhum comentário