Com USDA morno, soja fecha estável em Chicago e mantém preços travados também no BR

Publicado em 09/04/2019 17:02
854 exibições

LOGO nalogo

Os preços da soja mais uma vez fecharam com estabilidade na Bolsa de Chicago no pregão desta terça-feira (9). Os futuros da oleaginosa encerraram os negócios com ligeiras altas de pouco mais de 0,5 ponto, com o maio ainda valendo US$ 8,98 e o agosto, US$ 9,17 por bushel. 

O mercado vinha se preparando para a divulgação dos novos números do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), operando na defensiva, mas o boletim chegou sem grandes novidades e manteve os preços ainda muito lateralizados, sem força para sairem do intervalo em operam já há mais de um ano. 

No cenário norte-americano, o USDA trouxe apenas uma pequena correção para baixo dos estoques finais norte-americanos para 24,36 milhões de toneladas, contra 24,49 milhões do boletim anterior. O número veio abaixo da média das expectativas, de 24,85 milhões, mas dentro do amplo intervalo esperado de 23,05 a 28,9 milhões de toneladas. 

O USDA revisou para cima a safra mundial de soja para 360,58 milhões de toneladas, contra 360,08 milhões de março. Assim, os estoques finais subiram de 107,17 para 107,36 milhões de toneladas. A produção brasileira foi estimada em 117 milhões de toneladas, contra 116,5 milhões do boletim anterior. 

Leia mais e veja os números completos:

>> Soja: USDA reduz estoques finais dos EUA e aumenta safra do Brasil

Além do relatório neutro trazido pelo USDA, as poucas informações que seguem no foco dos traders também impedem um fechamento diferente do observado nesta terça. A  falta de novidades, principalmente, sobre as relações comerciais entre China e EUA, mantém o mercado cauteloso e sem espaço para uma retomada. 

Aos poucos, o mercado observa também a questão climática nos EUA e as perspectivas iniciais para a safra 2019/20. Muitas chuvas são esperadas para os próximos dias e um novo ciclone-bomba deve atingir o Meio-Oeste americano ainda nesta semana. 

Ao se confirmar, essa seria a segunda vez em menos de um mês que chuvas dessa intensididade e magnitude chegam à região, conforme informa a CNN. 

Leia ainda:

>> Novo 'ciclone bomba' deve atingir o Meio-Oeste dos EUA nesta semana

>> EUA 2019/20: "USDA superestimou área de milho e subestimou de soja", diz analista internacional

Estabilidade também no Brasil

As cotações da soja fecharam a terça-feira estáveis também no Brasil. Nos portos, as referências permaneceram inalteradas, com R$ 76,50 em Paranaguá e R$ 76,00 em Rio Grande no spot. Para o mês seguinte, R$ 77,00 e R$ 76,50 por saca. 

O mesmo pôde ser observado no interior do país, onde as cotações se movimentaram apenas pontualmente, como na praça de Ponta Grossa/PR, onde o preço fechou com R$ 75,00 e baixa de 1,32%. Em Cascavel, queda de 0,75% para R$ 66,50. 

Em contrapartida, em Sorriso a soja disponível subviu 2,42% para R$ 63,50 por saca. 

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário