USDA anuncia nova venda de soja para a China; Pequim fala em estoques 'abundantes'

Publicado em 15/10/2019 11:04 e atualizado em 15/10/2019 13:59
2428 exibições
"Falar em abundância de estoques é, no mínimo, audacioso", diz o consultor Ênio Fernandes

LOGO nalogo

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) informou uma nova venda de soja para a China nesta terça-feira (15). Foram 142,579 mil toneladas e todo o volume refere-se à safra 2019/20. Todas as vendas feitas no mesmo dia, para o mesmo destino e com volume igual ou superior a 100 mil toneladas devem sempre ser informadas ao departamento. 

CHINA - ESTOQUES E PRODUÇÃO

Uma nota divulgada pela agência estatal chinesa de notícias Xinhua, com informações oficiais do governo, afirma que o fornecimento de grãos, incluindo a soja, "está seguro na China, pois a capacidade de produção é grande e relativamnente forte, e os estoques são abundantes". 

Até 2020, a projeção é de que a área destinada à oleaginosa no país alcance os 9,3 milhões de hectares e, ainda de acordo com declarações do governo, continuam as medidas do governo para incentivar o plantio da soja. 

Assim, de acordo com Su Wei, funcionário da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma de Pequim, "à medida em que o mercado interno de grãos se tornar mais aberto, as empresas de capital estrangeiro ganharão presença mais ampla e profunda no mercado chinês de grãos".  

A nota na íntegra, original, em inglês, segue abaixo:

Nota Xinhua - estoques de soja na China

"Falar em abundância de estoques é, no mínimo, auduacioso. Segurança? Isso sim eles têm porque podem comprar dos Estados Unidos e os Estados Unidos têm estoques para atendê-los", explica o consultor da Terra Agronegócios, Ênio Fernandes. 

Ainda segundo eles, os chineses estão se mostrando, neste momento, bastante pragmáticos na comercialização de soja, principalmente depois do possível acordo firmado com os EUA, mesmo que parcialmente, na última semana. 

Afinal, "não temos (o Brasil) soja para vender agora e obrigatoriamente eles têm que comprar dos Estados Unidos. Sabíamos que ia faltar soja, e muitos analistas acertaram até a data, dizendo que seria depois de outubro", completa Fernandes. 

COMÉRCIO

O mercado global de soja tem estado muito atento aos recentes movimentos da nação asiática nos EUA. Na última sexta-feira (11), os dois países afirmaram ter chegado a um encontro parcial, porém, ainda sem grandes detalhes. E até que sejam conhecidos os pormenores, a insegurança dos traders continua. 

E embora a China veja o mercado norte-americano como importante alternativa neste momento - uma vez que a oferta brasileira quase já não existe para atendê-los, até que chegue a nova safra - o Brasil ainda marca bons números nas exportações. E os dados mostram, portanto, que a demanda chinesa esteve bastante presente no mercado nacional nas últimas semanas. 

De acordo com os últimos números da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), nas duas primeiras semanas de outubro o Brasil exportou 1,6 milhão de toneladas. No acumulado do ano, as vendas brasileiras já totalizam 66,4 milhões de toneladas. 

"Ou seja, já somos o maior exportador mundial e superando em muito o segundo colocado, os EUA, com menos de 50 milhões de toneladas acumuladas no ano todo", diz Vlamir Brandalizze, consultor da Brandalizze Consulting.

Tags:
Por: Carla Mendes | Instagram @jornalistadasoja
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Ivo Bortolassi Los Cedrales - 00

    Quem viver verá! essa é a maior mentira já contada pelos chineses..., eles sabem que os EUA terá 30 milhões de ton a menos para exportar nessa safra ... adivinhem onde terão que buscar.

    1
    • marco antonio stahlschmidt Araquari - SC

      A safra nova da soja já está comprada na Bolsa de Chicago. Nao existe mais volume para negociar. Uma vez firmada posiçao (pagas em dolares ) no mercado de futuros da CBOT, os chineses garantiram o abastecimento antecipadamente (e com abundancia), ... por isso e´procedente a informaçao de abundancia de estoques de soja na China (divulgada pela Xinhua, agencia de informação do Governo Chines). Lá na frente, se nao tiverem o produto ( soja ) para entregar, os EUA vao comprar na america latina ( paraguai, uruguai, bolivia, argentina, e depois o Brasil ), pois venderam a soja "bem" vendido para a China, ai´com a correçao monetaria (de quase um ano), compram soja barata dos outros......

      19
    • Renato Santi Locatelli Alvorada do Sul - PR

      Pura balela. O que fizeram de contrato sequer cobre 2 meses de consumo. Essa semana estão comprando soja igual loucos. Sinal que a noticia é falsa. Se o produtor segurar mais um pouquinho eles vão esguelar compra-se soja.

      0
    • Virgilio Andrade Moreira Guaira - PR

      A China compra 60 % da soja no mercado internacional, portanto ela sempre vai tentar manipular e comprar pelo mais barato possivel.. Precisamos novos e fortes compradores como a India, Asia em geral e até mesmo a Africa. Também precisamos aumentar o consumo interno... Logo, não existe mágica. O mercado é soberano.. E o que impera é a lei de oferta e procura.

      0