Soja: Chicago fecha 3ª feira com baixas de dois dígitos na CBOT com China sem comprar nos EUA

Publicado em 21/01/2020 19:59
558 exibições

LOGO nalogo

O mercado da soja fechou o pregão desta terça-feira (21) com baixas de dois dígitos entre os principais vencimentos negociados na Bolsa de Chicago. Os futuros da oleaginosa perderam entre 11,25 e 13,75 pontos, levando o março a US$ 9,16 e o maio a US$ 9,29 por bushel. 

As cotações voltaram do feriado nos EUA, comemorado nesta segunda-feira (20), ainda sentindo a pressão da falta de notícias sobre a demanda chinesa no mercado norte-americano. As compras da nação asiática seguem focadas no Brasil. 

"Os chineses mantêm o posicionamento de adicionar compras em origens que ofereçam o melhor preço. Neste caso, o Brasil ainda possui a soja para embarque futuro com valores mais baratos do que a oleaginosa estadunidense", explicam os especialistas da ARC Mercosul em seu informe diário. 

E a consultoria acredita ainda que "a demanda chinesa continuará concentrada na América do Sul, desde que os preços se mantenham atrativos".

E até que novas informações cheguem, o mercado segue encontrando espaço para estes recuos, e o movimento tem sido registrado desde que foi anunciada a assinatura da fase um do acordo comercial entre China e EUA. O texto, afinal, não trouxe especificações de volume de quanta soja os chineses têm que comprar dos EUA. 

No link abaixo, confira uma análise completa de Matheus Pereira, diretor da ARC Mercosul, em entrevista ao Notícias Agrícolas nesta terça-feira:

>> Mercado brasileiro de soja sustenta otimismo com competitividade forte e concentração da demanda; millho exige cautela

PREÇOS NO BRASIL

A baixa dos futuros em Chicago pesou também sobre os preços da soja no Brasil e em algumas praças a perda foi de até 9,5%, como foi o caso de Luís Eduardo Magalhães, na Bahia. O que limitou as perdas em outros pontos do interior do país ou nos portos foi  a nova alta do dólar, o que mantém ainda a moeda americana na casa dos R$ 4,20. 

"O câmbio desvalorizado brasileiro mantém o poder de barganha do importador chinês", complementa a ARC.

Nos terminais, as cotações perderam pouco mais de 0,5% e as referências entre a soja disponível e o indicativo para março variando entre R$ 86,00 e R$ 88,00 por saca.  

Tags:
Por: Carla Mendes| [email protected]
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário