Soja cai até 3% no interior do Brasil nesta 2ª feira com nova baixa intensa do dólar

Publicado em 08/06/2020 17:12 1803 exibições

LOGO nalogo

Com novas baixas de mais de 2% do dólar frente ao real nesta segunda-feira (8), os preços da soja voltaram a cair no mercado nacional neste início de semana e as baixas mais intensas puderam ser registradas nos portos. A oleaginosa disponível fechou com R$ 101,00 em Paranaguá e R$ 99,00 em Rio Grande, com perdas de 1,94% e 3,23%, respectivamente. Já para fevereiro de 2021, os indicativos foram a R$ 98,00 e R$ 97,50 por saca, nessa ordem, com baixas de mais de 1%. 

Como boa parte da alta dos preços das soja no Brasil vinha atrelada ao câmbio, as cotações no mercado nacional refletiram as perdas da moeda americana imediatamente. Enesta segunda deu continuidade às baixas observadas nos últimos dias. 

Segundo especialistas, a tendência é de que o dólar siga caindo no curto e médio prazos, podendo testar patamares ainda mais baixos, refletindo um alinhamento de fatores externos e internos. Na política nacional, apesar de uma cena ainda inflamada, as perspectivas são mais claras. Externamente, já é possível observar a reativação de algumas economias importantes após o pico mais grave da pandemia do novo coronavírus, mas com o mercado ainda atento aos impactos do vírus na economia mundial.

"A sessão era marcada pela continuidade do otimismo em relação a uma recuperação econômica global, impulsionado por dados positivos sobre o emprego nos Estados Unidos da semana passada. Enquanto isso, a reabertura de grandes economias continuava sendo um ponto positivo no cenário atual, como citou Filipe Villegas, estrategista da Genial Investimentos, em live nesta segunda-feira", noticiou a agência Reuters.

Asism, o dólar caiu 2,66% nesta primeira sessão da semana, para fechar o dia com R$ 4,86.

No interior, a segunda-feira também foi de baixas intensas nas principais regiões produtoras e praças de comercialização pesquisadas pelo Notícias Agrícolas. As perdas chegaram a até 3,23%, como foi o caso de São Gabriel do Oeste, onde o preço encerrou o dia com R$ 90,00 por saca. 

BOLSA DE CHICAGO

Na Bolsa de Chicago, os futuros da soja encerraram o dia perdendo entre 1,50 e 3 pontos nas posições mais negociadas, com o julho valendo US$ 8,64 e o agosto, US$ 8,67 por bushel. 

O mercado devolveu parte das últimas altas, que somente na última semana superaram os 3% no acumulado. Os traders observam o reposicionamento dos fundos, as perspectivas sobre a demanda da China nos EUA e o clima no Corn Belt, que por enquanto não traz grandes ameaças à nova safra americana. 

A movimentação do dólar frente ao real também é uma preocupação, porém, uma nova perda intensa nesta segunda não ajuda as cotações da soja a subirem na CBOT. Perto de 13h40, a moeda americana cedia mais de 2% para ser negociada a R$ 4,88. 

Os baixos embarques semanais de soja dos EUA também ajudam a pressionar os preços da soja. Na semana encerrada em 4 de junho, foram apenas pouco mais de 213 mil toneladas, enquanto o mercado esperava algo entre 300 mil e 600 mil toneladas. 

Tags:
Por:
Carla Mendes | Instagram @jornalistadasoja
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

1 comentário

  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    Certa vez li um estudo que falava sobre a medida de riqueza chamada PIB. Nesse estudo de alta qualidade, o autor provou que o PIB não serve como medida de riqueza, é na verdade um engodo. Falava também sobre o PIB percapita que é uma medida muito mais adequada. Se formos medir o consumo de soja percapita da china e comparar com o brasileiro, somos duas vezes mais ricos que eles. Essa lorota de segunda economia mundial é só isso...propaganda feita pelo PCC para enganar trouxa.

    14
    • Liones Severo Porto Alegre - RS

      A estatística e a história são ferramentas que tem um vício de origem inerente por representar sempre apenas aquilo que o pesquisador deseja que ela represente. Essa informação é frequentemente desconectada da realidade.

      1
    • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

      Só que isso não é estatistica, nem história, é matemática..., divide o consumo do Brasil pelo numero de habitantes e o consumo da china pelo número de habitantes, e o Brasil consome o dobro de soja por habitante se comparado a china. É uma conta simples de divisão. A propósito, essa idéia de pensar que todos são desonestos é errada. Tente entender Eric Voegelin, se puder...Esta busca luminosa em que a procura da resposta verdadeira depende do colocar a verdadeira questão, e o pôr da verdadeira questão depende da apreensão espiritual da verdadeira resposta, é a vida da razão.

      4