Soja sobe forte nesta 2ª feira e marca máximas em quatro meses em Chicago com clima adverso nos EUA

Publicado em 06/07/2020 08:07 e atualizado em 06/07/2020 11:09 2798 exibições

LOGO nalogo

O mercado da soja na Bolsa de Chicago volta do feriado nos EUA operando com boas altas nesta segunda-feira (6), registrando suas máximas sem quatro meses. Por volta de 7h40 (horário de Brasília), os futuros da oleaginosa subiam entre 7,75 e 11,50 pontos, com o novembro já sendo cotado a US$ 9,08 por bushel. 

Segundo analistas internacionais, o avanço das cotações se dá em função das preocupações com o clima seco e quente em partes do Corn Belt. "As condições climáticas, neste momento, estão um tanto desfavoráveis e podem provocar a perda de produtividade em algumas regiões", disse um analista ao portal Agriculture.com.

Assim, a expectativa é de que o mercado mantenha seu foco sobre os mapas e previsões climáticas para o Meio-Oeste americano durante toda a semana e aos poucos vão definindo qual o peso que o clima terá sobre o andamento dos preços daqui em diante. 

No final da tarde de hoje, após o fechamento do mercado, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) traz seu novo reporte semanal de acompanhamento de safras. E as expectativas são de que o índice de lavouras em boas ou excelentes condições permaneça em 71% para a soja e 73% para o milho nos números que chegam às 17h (Brasília). 

Veja como fechou o mercado na última sexta-feira:

>> Retração do produtor americano e risco climático limitam oferta de soja, que só vai reaparecer com preços acima dos US$9/bushel 

Tags:
Por:
Carla Mendes | Instagram @jornalistadasoja
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário