Brasil importa mais que o triplo de soja nos primeiros 8 dias úteis de julho do que em todo mesmo mês de 2019

Publicado em 13/07/2020 17:37 e atualizado em 13/07/2020 18:17 7631 exibições

LOGO nalogo

O Brasil importou nos primeiros oito dias úteis de julho um total de 45,7 mil toneladas de soja, de acordo com os números da Secex (Secretaria de Comércio Exterior) nesta segunda-feira (13) e supera largamente todo o volume de todo o mês de julho de 2019, quando foram 12,7 mil. 

Segundo o consultor de mercado Vlamir Brandalizze, da Brandalizze Consulting, a tendência é de que os volumes continuem crescendo e o país pode encerrar o mês com mais de 135 mil toneladas da oleaginosa importadas caso o ritmo atual - de 5,7 mil toneladas/dia - se mantenha. 

A soja importada pelo Brasil ainda vem, essencialmente, do Mercosul, uma vez que chega aos país sem tributos. "Mas deveremos ver alguns navios americanos", acredita o especialista. 

Brandalizze explica que há indústrias gaúchas de processamento de soja que já não têm matéria-prima para trabalhar e que, em alguns casos, o mais viável é a importação. "E os preços são atrativos", completa. 

Ao somar o total importado entre maio, junho e os primeiros dias úteis de julho - meses em que , as importações brasileiras de soja já somam 178,5 mil toneladas, volume bem maior do que no mesmo período de 2019. 

Somente no mês passado, as compras brasileiras foram de 89,8 mil toneladas, mais do que o dobro do total de maio e o maior volume desde 2016. 

A semana no mercado brasileiro mais uma vez começa com negócios pontuais e bastante regionalizados. As cotações não seguiram um caminho comum nem nos portos e nem no interior do país, observando as perdas em Chicago, ao mesmo tempo em que o dólar encerrou a sessão com alta de mais de 1% e valendo R$ 5,39. 

Assim, enquanto em algumas praças como Tangará da Serra e Campo Novo do Parecis, em Mato Grosso, registraram ganhos de mais de 1%, para fechar o dia com R$ 100,00 e R$ 99,00 por saca, Ponta Grossa, no Paraná, perdeu 2,61% para levar sua referência a R$ 112,00. 

Ainda assim, os preços no interior seguem acima da paridade de exportação, com a oferta escassa no Brasil e o país tendo que importar cada vez mais volumes.

Veja como fechou o mercado de soja nesta segunda-feira:

>> EUA deveriam embarcar 900 mil toneladas de soja por semana para cumprir projeção de 45 mi/t do USDA

Tags:
Por:
Carla Mendes | Instagram @jornalistadasoja
Fonte:
Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Elton Szweryda Santos Hortolândia - SP

    Importar soja é viavel? Será que chega aqui por menos de R$ 120,00? Talvez proximo à divisa..., todos nos sabemos o preço do frete e impostos..., no meu simples entendimento, acredito ser essa uma noticia que nao altera o status de escassez..., acredito ser uma noticia dirigida à midia e ao mercado, na tentativa de influenciar preços -- pra baixo, logico ..., mas tambem acredito que nao surtirá nenhum efeito, pois quem ainda tem algum lote de soja, tem um preço em mente, e nao entregara por menos. Se a importaçao fosse de 3 milhoes de toneladas.... aí talvez...

    3
    • Carla Mendes Campinas - SP

      Sr. Elton, obrigada pelo comentário. De fato, a notícia não muda mesmo o cenário de escassez, mas somente a confirma. O objetivo não é promover uma pressão sobre os preços de forma nenhuma. Primeiro porque somos um portal de notícias com foco nos bons resultados do produtor rural e, segundo, muito responsável. Estes são números oficiais e que precisam ser conhecidos pelo complexo soja nacional. Os preços no mercado brasileiro seguem firmes e historicamente elevados, principalmente no interior do país.

      0
    • Elton Szweryda Santos Hortolândia - SP

      Carla Mendes, parabens pelo seu trabalho, sou seu fã, continue sempre a trazer boas imformacoes ao nosso meio, como sempre!!! Eu sou leitor assiduo e acompanho o Joao Batista desde 2003, se nao me engano, ... nao saberia onde encontrar tantas boas informacoes sobre a minha atividade agricola, a nao ser no NA. Parabens.

      0
    • Carla Mendes Campinas - SP

      Eu agradeço MUITO pela audiência, carinho e pelo elogio. Trabalhamos para que os senhores possam tomar boas decisões.

      1
    • Virgilio Andrade Moreira Guaira - PR

      O Paraguay está atualmente com problema nas hidrovias..., e o Oeste do Paraná é um mercado próximo, viável e com valor agregado.

      0
    • Adilson Dilmar Dudeck Cascavel - PR

      Problema nas hidrovias no Paraguai foram sanadas com as chuvas de semanas atrás. O Elton esta certo quanto a que custo chega a soja aqui, pois não tem ferrovia e os pedágios são de arrebentar (ainda mais aqui no Paraná). Essas compras de soja no Paraguai são para ainda aproveitar os preços baixos, já que falta soja para atender ao mercado interno e externo.

      0
    • Jorge A. Graunke PONTA PORÃ - MS

      Há tempos tenho notado um viés baixista, que favorece o lado comprador..., posso estar equivocado.

      0
    • Guilherme Frederico Lamb Assis - SP

      Na pratica, isso é uma consequência da baixa disponibilidade de soja no país, sendo que em função disso, alguns consumidores terão que apelar a soja importada de países vizinhos para se abastecer, movimento mais favorável a esses consumidores que estejam localizados próximos as essas fronteiras. Analisando os números de oferta de demanda da Conab, o Brasil vai precisar de 46 milhões de toneladas para atender o mercado interno, a produção estimada está em 120,9 milhões de toneladas. Ai entram as exportações, até o ultimo dia de junho, primeiro semestre, as exportações somaram 62,9 milhões de toneladas!

      Um recorde histórico para o período, em 6 meses estamos perto de exportar o mesmo volume de soja que nos 12 meses do ano passado. Para fim de comparação, no primeiro semestre de 2019 exportamos 43,7 milhões de toneladas.

      Se mantidas as medias diárias embarcadas nesses dias de julho vamos chegar ao fim do mês com algo em torno de 11,3 milhões de toneladas exportados, acumulando em 7 meses do ano safra de soja 74,2 milhões de toneladas. Mais do que tudo que foi exportado durante os 12 meses de 2019.

      Fazendo um cálculo direto: produção (120,9 mi ton) – consumo interno projetado para os 12 meses (46 mi ton) – saldo exportado (primeiro semestre + estimativa do mês de julho) (74,2 mi ton)= 0,7 milhões de toneladas de soja restantes dessa safra para atender as exportações nos 5 meses restantes do ano. Isso sem falar qualquer aumento de consumo interno, 700 mil toneladas não são praticamente nada para essa demanda.

      Na pratica acabou a soja...

      Concordo com os amigos que noticias divulgadas sem atenção a esses detalhes importantes passam uma informação distorcida que pode afetar o mercado, neste caso, afetando os produtores.

      Com todos esses dados expostos fica claro que essas importações se dão justamente pela escassez do produto no mercado interno neste ano safra.

      0
    • Hilario Bussolaro Cascavel - PR

      Aqui em Cascavel (PR) vamos colher o milho safrinha, com uma produtividade bem abaixo do esperado... a produção e as vendas de sementes para a safra de verão é a mais baixa de todos os tempos ... então querem falar que tem milho até a próxima safrinha para aguentar o mercado externo e interno??? queria saber qual o milagre que vai garantir isso... teria que contar com o clima muito bom lá na frente para uma cultura que vamos plantar (se correr tudo bem)em 6 meses pela frente, mais de 4 5 meses para colher ... só Jesus na causa!

      0