À espera do relatório do USDA, soja recua na Bolsa de Chicago nesta 2ª feira

Publicado em 28/09/2020 11:48 689 exibições
Avanço na colheita da soja americana e o feriado chinês silenciaram o interesse de compras da oleaginosa

LOGO nalogo

Os vencimentos da soja passaram a trabalhar no campo negativo na Bolsa de Chicago (CBOT) na tarde desta segunda-feira (28). Por volta das 11h17 (Horário de Brasília), os contratos trabalhavam com desvalorizações de 10,00 a  8,50 pontos em que o Novembro/20 operava a US$ 9,92 por bushel e o Janeiro/21 estava cotado a US$ 9,96 por bushel. 

Segundo as informações da Farm Futures, a avanço na  colheita da soja americana e o feriado chinês silenciaram o interesse de compras da oleaginosa. “A colheita de soja deve evoluir rapidamente no relatório semanal de progresso da safra, que será divulgado na tarde desta segunda-feira pelo o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA)”, afirma a Farm Futures. 

As chuvas durante o final de semana na região norte do Meio-Oeste podem ter desacelerado o progresso da colheita no norte de Minnesota e Wisconsin. Entretanto, o tempo claro  na maior  da área de cultivo de soja dos EUA manteve os agricultores ocupados com o ritmo acelerado da colheita na semana passada, conforme a Farm Futures divulgou.   

O avanço da colheita nas áreas no Sul do Meio-Oeste também podem ficar estáveis, já que o Sudeste registrou tempo seco após chuvas fortes com Furacão Sally e da Depressão Tropical Beta na semana passada.

Mercado Interno 

O boletim do Cepea apontou que os baixos estoques no Brasil e o dólar valorizado mantêm firmes os preços domésticos da soja em grão. “A valorização da soja segue desafiando as indústrias brasileiras, mas muitas indicam estar conseguindo repassar as altas do grão aos derivados, diante da firme procura por farelo e óleo de soja”, informou o Cepea. 

Às 11h44 (Horário de Brasília), o dólar registrava uma leve alta de  0,32%, a R$ 5,57  na venda. Conforme a Reuters informou que o dólar opera com valorização ante ao real no início desta semana marcado pelo otimismo internacional diante de dados promissores sobre a indústria da China, mas deixava para trás as mínimas do pregão à medida que o foco seguia nas eleições norte-americanas e nas perspectivas fiscais do Brasil.

Leia Mais:

+ Dólar cai ante real com otimismo global, mas abandona mínimas do dia de olho em fiscal

+ Soja: indicador em Paranaguá se aproxima de recorde real

Santa Catarina 

Em entrevista ao Notícias Agrícolas, o presidente da Aprosoja SC, Alexandre Alvadi Di Domênico, destacou que o plantio da soja deve iniciar entre 5 e 10 de outubro de 2020. A expectativa também é de aumento de 3% na área cultivada com crescimento sobre áreas de pastagem, especialmente na região Norte do estado e na região da Serra catarinense.

+ Com nova postura de comercialização, SC já plantou 90% do milho e vai começar semeadura da soja entre 5 e 10 de outubro 

+ Contratos futuros da soja iniciam a semana com estabilidade em Chicago

Tags:
Por:
Andressa Simão e Letícia Guimarães
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário