Soja: comercialização ganha impulso

Publicado em 01/11/2010 11:13
552 exibições
Os preços da soja mantiveram a tendência de alta durante o mês de outubro. As cotações subiram na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT), principal referencial mundial para preços, e nas praças de comercialização do mercado físico brasileiro. Em termos de movimentação, os produtores aproveitaram a melhora nas cotações e negociaram antecipadamente boa parte da safra nova. No disponível, as vendas permaneceram praticamente paradas.

Levantamento de Safras & Mercado indica preço médio de R$ 44,87 para a saca da soja em Passo Fundo (RS), em outubro. Em setembro, a média havia ficado em R$ 43,02. Em Cascavel (PR), o preço médio pulou de R$ 41,40 no mês passado para R$ 44,41. Em Rondonópolis, a média também subiu, passando de R$ 40,52 para R$ 43,16.

Este comportamento dos preços acompanhou o desempenho da Bolsa de Chicago. Os contratos com vencimento em novembro tiveram média de US$ 11,58 por bushel em outubro, contra US$ 10,61 de média em setembro. Mas em boa parte do mês o preço rompeu a barreira de US$ 12,00, fechando a US$ 12,25 no dia 28 de outubro.

A sustentação das cotações reflete a contínua e aquecida demanda pela soja americana, principalmente por parte dos chineses. Mesmo com a expectativa de aumento na oferta mundial, com a boa safra nos Estados Unidos e as perspectivas positivas para a safra sul-americana, o apetite chinês deu suporte às cotações da soja ao longo do mês.

Aliás, o atraso no início do plantio da safra brasileira ajudou a elevar as cotações internacionais. Ao final do mês, no entanto, as chuvas praticamente normalizaram e o plantio atingiu percentuais próximos à média. Segundo Safras, o plantio da soja na temporada 2010/11 atinge 28% da área esperada. No Mato Grosso, principal estado produtor, o atraso é mais consistente. Apenas 31% da área foi plantada, contra 55% de 2009 e 42% da média.
Tags:
Fonte: Safras & Mercado

Nenhum comentário