Chuva prejudica lavouras de soja em propriedades de Mato Grosso do Sul

Publicado em 18/03/2011 07:52 579 exibições
Plantações inteiras ficaram debaixo d'água em algumas regiões do estado. Quem conseguiu colher tem dificuldade para vender por falta de qualidade.
A chuva prejudicou muito a soja em várias propriedades de Mato Grosso do Sul. As lavouras ficaram debaixo d'água em algumas regiões do estado e quem conseguiu colher, está vendo o produto ser rejeitado pelos armazéns por falta de qualidade.

Em uma fazenda em Sidrolândia quase metade da soja foi perdida. Algumas áreas viraram brejo.
Maracaju, Sidrolândia e São Gabriel do Oeste foram os municípios que tiveram as lavouras mais atingidas pelas chuvas em Mato Grosso do Sul. Um levantamento feito pela Fundação MS mostra que os prejuízos podem chegar a R$ 270 milhões só nesta região.

Em uma propriedade, a imagem que se vê é um amontoado de grãos apodrecidos. O que o dono tentou vender para os armazéns foi rejeitado. A montanha de soja está com mau cheiro, não serve nem para alimentar animais, 650 sacas que tinham como destino a exportação, devem virar adubo para o milho safrinha.

O agricultor Rafael Uzeika corre contra o tempo para cultivar 1.500 hectares de milho. O plantio é feito praticamente junto com a colheita da soja. “Devido o risco alto de geada, a partir deste momento, vivemos uma loteria. Como já estamos com os insumos comprados, não temos como devolver”.

Os produtores tentam correr atrás do prejuízo, mas as máquinas trabalham em ritmo lento por causa do solo que está muito úmido. O problema é que esta demora faz aumentar os riscos. “O plantio do milho safrinha após 20 de março corre o risco de geada, corre o risco de falta de chuva em pleno florescimento da cultura, que são os enchimentos de grãos”, explicou Roney Pedroso, agrônomo.

O prazo do zoneamento agrícola para plantar o milho em Mato Grosso do Sul termina no domingo. A Fundação MS já estima uma redução de 10% na área cultivada com o milho safrinha no centro-norte do estado.

Tags:
Fonte:
Globo Rural

0 comentário