Soja: Mercado recua com ajuste econômico na China e dados do USDA

Publicado em 12/05/2011 11:45 999 exibições
O mercado de commodities está, mais uma vez, passando por uma forte liquidação não comercial de fundos, com uma forte movimentação de vendas especulativas. O mau momento atinge principalmente as energéticas e metálicas, porém, é suficiente para criar problemas para as agrícolas também.

Refletindo essa liquidação de posições, os grãos negociados na Bolsa de Chicago registram mais um dia de expressivo recuo. Nesta quinta-feira, soja, milho e trigo fecharam o pregão noturno com baixas de dois dígitos em seus principais vencimentos e já estendem suas perdas para a sessão diurna, liderados pelo trigo.

Na sessão diurna de ontem, os preços encerraram o dia em queda frente aos números divulgados pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) de aumento dos estoques finais norte-americanos de soja e milho.

Hoje, o mercado continua absorvendo estes números e ainda tem de lidar com as notícias de um novo aumento do compulsório de bancos na China. O banco central chinês elevou a taxa em 0,50 ponto percentual nesta quinta-feira como mais uma forma de conter a inflação no país.

Ao obrigar os bancos a manter depósitos e não emprestá-los, a China espera enxugar o excesso de liquidez da economia, um dos principais indutores da inflação. Essa medida pesa sobre as commodities uma vez que pode desacelerar a demanda da nação asiática.

Além desses fatores, a baixa do petróleo também contriubui para as perdas na soja.

Porém, apesar de todo esse cenário negativo para os grãos, o especialista no mercado de grãos Ricardo Lorenzet, da XP Investimentos, alerta para um dia de bastante volatilidade. Por isso, a cautela deve continuar e pode guiar o comportamento dos agentes de mercado. 

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário