Produtores de MT são notificados por plantio de soja no vazio sanitário

Publicado em 03/08/2011 14:31 472 exibições
Aproximadamente mil propriedades de Mato Grosso foram fiscalizadas desde o dia 15 de junho deste ano quando teve início o período de vazio sanitário da soja. Dessas fiscalizações foram registradas 171 notificações em propriedades onde foi confirmado o plantio involuntário da oleaginosa. Os produtores tiveram até 48 horas para remover a plantação que, nesse caso, não é intencional e pode ocorrer quando os grãos caem durante o escoamento da produção. Até o momento nenhum produtor foi autuado por insistir em plantar no período que termina no dia 15 de setembro.

O objetivo do vazio sanitário é reduzir a sobrevivência do fungo Phakopsora pachyrhizi, causador da ferrugem asiática da soja, evitando assim ataques precoces da doença na safra seguinte. O alerta para respeitar a determinação foi enfatizada no zoneamento da soja para a safra 2011/2012 divulgado na sexta-feira (29) pelo Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Segundo o fiscal do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT), Ronaldo Medeiros, os produtores têm se tornado mais conscientes quanto à importância de respeitar o vazio sanitário. Ele lembra que no ano passado foram efetuadas seis autuações. “São produtores que sabem da proibição mas insistem em plantar no período”. Nesta situação, o agricultor é penalizado com multa de até 30s Unidade de Padrão Fiscal (UPF), o equivalente a R$ 1.080, somado a duas UPFs por hectare cultivado, ou seja, mais R$ 72,06. Por exemplo, em uma área de mil hectares, o produtor teria que desembolsar cerca de R$ 73,1 mil. O presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Glauber Silveira, destaca que os sojicultores estão monitorando as suas propriedades para evitar a proliferação da doença. Conforme ele, o desrespeito ao vazio sanitário só acontece quando o produtor não tem informação.

No zoneamento da soja, é identificada ainda a necessidade de chuva para a manutenção da produtividade do grão. Conforme o relatório, “a disponibilidade de água é importante principalmente em dois períodos de desenvolvimento da cultura: germinação/emergência e floração/enchimento de grãos”. O período da semeadura é de 1º de outubro a 31 de dezembro. Além disso, há a publicação dos municípios propícios para o cultivo do grão. Na safra 2010/2011, Mato Grosso cultivou uma área de 6,2 milhões de hectares de soja com uma produção de 8,8 milhões de toneladas, de acordo com dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab)

Tags:
Fonte:
G1

0 comentário