Grãos: em Chicago, mercado registra dia de volatilidade

Publicado em 24/08/2011 12:16 e atualizado em 24/08/2011 14:11 873 exibições
Depois de um tímido movimento de realização de lucros entre os grãos na Bolsa de Chicago no pregão diurno, a soja e o milho abriram a sessão diurna desta quarta-feira com leves altas. O trigo operava no misto. Porém, por volta das 13h04 (horário de Brasília), a oleaginosa já passava para o lado negativo da tabela.

Os futuros reagiram e voltaram a subir por conta do clima adverso nos Estados Unidos, bem como a condição frágil das lavouras de soja e milho no país. O calor intenso e a severa estiagem castigam as plantações locais e devem resultar em uma significativa redução da produtividade para ambas as commodities.

De acordo com os primeiros dados do estudo Crop Tour, da Pro Farmer, as lavouras dos estados de Nebraska e Indiana apresentaram baixos índices de produtividade, refletindo a ausência das chuvas e as temperaturas elevadas.

Analistas ressaltam, no entanto, que apesar do cenário fundamental altista, a resistência psicológica dos US$ 14 por bushel - patamar em que se encontram os vencimentos janeiro e março - facilita a realização de lucros, principalmente dos ganhos registrados em agosto.

Além disso, os fatores externos também voltam a se mostrar e  algumas incertezas no mercado financeiro também exerceram uma leve pressão nos preços durante o pregão noturno, que fez com que os grãos fechassem no vermelho.

O rebaixamento da nota de crédito do Japão - principal importador de milho do mundo - e um recuo maior do que o estimado por analistas na confiança dos empresários alemães voltaram a atuar negativamente entre as commodities agrícolas.

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário