BB avalia mudança na classificação de renda agropecuária de produtor

Publicado em 01/03/2012 09:13 535 exibições
A classificação da renda agropecuária bruta anual dos produtores de cana nacional, indicador utilizado pelo Banco do Brasil na definição de regras de financiamentos para o setor, pode mudar. A alteração está sendo analisada pela direção executiva da instituição bancária mediante o pleito da União Nordestina dos Produtores de Cana (Unida), realizada durante reunião nesta semana, no Ministério de Agricultura, em Brasília. A Federação dos Plantadores de Cana do Brasil (Feplana), Confederação Nacional da Agricultura (CNA) e a Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba também participaram da reivindicação.

Segundo o presidente da Unida, Alexandre Andrade Lima, o BB poderá utilizar a mesma classificação aplicada pelo Banco do Nordeste. “Propomos que seja utilizada a mesma tabela do BNB”, diz, adiantando que os dirigentes ficaram de estudar a sugestão para responder posteriormente. O miniprodutor, segundo o BNB, é considerado como aquele que possui uma faixa de receita anual que vai até R$ 360 mil, enquanto no BB é limitada até R$ 18 mil. A classificação para os pequenos, médios e grandes produtores feita pelas instituições também apresenta o mesmo padrão discrepante de valores. “A distância é enorme entre os dois bancos públicos”, destaca.

Além da possibilidade de mudança na classificação da renda agropecuária bruta anual dos produtores, as entidades já alcançaram outras conquistas na reunião com os dirigentes nacional do BB. O banco irá implementar o credito rotativo no período de três meses. “Ou seja, quem fizer um financiamento e pagar no prazo, terá seu financiamento renovado automaticamente, como já ocorre no BNB”, conta. O Banco do Brasil também informou que não vai excluir os municípios do financiamento que não constava no Zoneamento Agroecológico da cana de açúcar.

Fonte:
AI Unida

0 comentário