Mesmo com a queda na produção de cana do Brasil, preços do açúcar continuam em baixa

Publicado em 11/07/2013 12:43 470 exibições

Os preços do açúcar vêm caindo há três anos, mesmo com uma queda ainda maior na produção da região centro-sul do Brasil devido às chuvas severas e os maiores retornos da conversão de cana em etanol, que tomaram o lugar do açúcar.

A região centro-sul do país é responsável por cerca de 90% da produção brasileira e, na última quinzena de junho, teve uma queda para 1,50 milhões de toneladas, número bem abaixo das 2,10 milhões de toneladas alcançados na primeira quinzena de maio. Segundo dados do grupo Única, o total também foi 16,4% abaixo da produção na segunda metade de junho de 2012.

A Única afirma que a produção foi reduzida devido a fortes chuvas, embora os níveis de precipitação tenham variado bastante entre as regiões, com alguns moinhos enfrentando apenas pequenos contratempos, enquanto outros reduziram o ritmo de processamento da cana próximo de zero.

O volume de cana moída caiu 8,2% por ano, chegando a 29,1 milhões de toneladas durante as últimas duas semanas do mês de junho e para a produção 2013/14, que começou em abril. Além disso, as usinas produziram mais etanol, com a proporção chegando a 41,9%. Isso se compara com um acumulado de 46,2% da cana que se transformou em açúcar nesta última temporada, atingindo um dos menores valores dos últimos 10 anos. Apenas em 2008/09 houve um número menor do que o registrado até agora este ano.

O preço do etanol tem sido apoiado por mudanças nos preços dos combustíveis, enquanto os valores para o açúcar estão menores do que a metade dos alcançados em 2011. Com isso, as usinas estão mais propensas a produzir o biocombustível do que o açúcar.

"Se fizermos um exercício simples, extrapolando a tendência até agora nesta temporada para os períodos subsequentes, podemos concluir que todo o crescimento esperado em moagens de cana pode ser direcionado para a produção de etanol", diz Antônio de Pádua Rodrigues, Diretor Técnico da Única.

A produção de etanol anidro, que é utilizado para mistura com a gasolina, mais do que duplicou em relação ao ano passado. No entanto, a extensão da mudança para o etanol e dos atrasos para a colheita de cana devido às chuvas, deu um rebote nos preços futuros no final de junho, antes de uma pausa este mês, impulsionada por fortes chuvas de monção que podem melhorar as perspectivas para a safra de cana da Índia. Além disso, cumulativamente, a produção de açúcar no centro-sul do Brasil em 2013/14 continua um terço maior do que há um ano.

Com informações do site internacional Agrimoney.

Por:
Paula Rocha
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário