Álcool de bagaço é realidade no País a partir de 2014

Publicado em 12/08/2013 07:48
493 exibições
Granbio começa a produzir no primeiro trimestre do ano que vem. Raízen, Odebrecht, Petrobras e CTC estão desenvolvendo projetos

Principal aposta para aumentar a oferta de etanol no país, o etanol celulósico – combustível produzido a partir do bagaço, folhas, cascas e outros resíduos da produção de cana-de-açúcar, é a estrela do Ethanol Summit, que começa hoje em São Paulo. A expectativa do setor é que o etanol de segunda geração aumente a produção nacional desse combustível em mais de 50%, sem necessidade de expansão da área de plantação.

"O etanol de segunda geração não é mais uma promessa. Não estamos falando mais de testes ou usinas pilotos e sim de empresas que inauguraram usinas de porte comercial", afirma o diretor de comunicação e marketing da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), Adhemar Altieri.

Altieri lembra que, com uma situação única, pela quantidade de biomassa disponível, o Brasil sempre foi visto como um país de bastante potencial para a produção de etanol. "Com isso, todas as empresas mundiais que tem projetos em desenvolvimento tem procurado e firmado parcerias com companhias brasileiras", afirma. "Temos hoje importantes projetos como o da Granbio, Raízen, Odebrecht, Petrobras e CTC. O setor está em plena atividade no país", comemora o diretor da Unica.

Leia a reportagem na íntegra no site CenárioMT:

Fonte: CenárioMT

0 comentário