Nota da COGEN sobre leilão A-6

Publicado em 21/10/2019 08:42 e atualizado em 21/10/2019 11:25
266 exibições

Com a finalização do leilão A-6 de energia nova, realizado nesta sexta-feira (18/10), seis projetos de biomassa entre os 25 cadastrados venderam 69,5 MWMédios, com um preço médio de R$ 187,90/MWh, o que representa a 6% da energia contratada no certame e a 9,4% do total leiloado na modalidade térmica.

1 - Univalem - 13,2 MWmédios
2 - Cerradão - 18,0 MWmédios
3 - São Martinho - 20,2 MWmédios
4 - Bela Vista - 8,0 MWmédios
5 - Ipiranga - 6,9 MWmédios
6 - Branco Peres - 3,2 MWmédios

Em gás natural foram três projetos:

1 - Novo tempo no Para - 569,7 MWmédios
2 - MC2 no Maranhão - 70,0 MWmédios
3 - Prosperidade na Bahia - 33,4 MWmédios

Na avaliação de Leonardo Caio Filho, diretor de Tecnologia e Regulação da Associação da Indústria de Cogeração de Energia (Cogen), o resultado mostra que haveria potencial para a biomassa vender muito mais energia se a fonte estivesse em uma modalidade de produto separada das demais — uma das demandas da Cogen.

"Na nossa visão, a expansão da matriz elétrica poderia ser mais determinística, em vez de meramente indicativa, valorizando as externalidades das fontes. A biomassa tem alta eficiência energética, é uma energia limpa que estimula uma economia circular e tem a vantagem de produzir energia próxima do centro de carga, ajudando a poupar água nos reservatórios das hidrelétricas do sistema Sudeste/Centro-Oeste, sobretudo nos períodos secos. O setor tem potencial para vender muito mais. Certamente, se tivermos uma sinalização positiva para a biomassa, nos próximos leilões o número de inscritos certamente será maior que os 25 projetos cadastrados neste leilão", diz Leonardo Caio Filho.

Por: COGEN
Fonte: Assessoria de Comunicação

0 comentário