Preço médio do etanol caiu 13% entre safra 2019/20 e 20/21 do Brasil

Publicado em 19/04/2021 15:02 80 exibições
Na virada para a temporada 2021/22, valores do biocombustível voltaram a subir no estado de São Paulo

LOGO nalogo

Os preços do etanol hidratado e anidro fecharam a safra 2020/21 (abril-março) com queda ante a temporada anterior, em termos de reais, depois de começarem 2021 com expressiva valorização, segundo levantamento do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea, da Esalq/USP).

Os preços médios da safra 2020/21 caíram em função dos preços baixos nos dois primeiros meses da safra (abril e maio de 2020).

"Vale ressaltar que, naquele período, algumas usinas de etanol precisavam comercializar o biocombustível, enquanto a demanda por etanol era baixa com as medidas restritivas de combate à primeira onda da pandemia da Covid-19", destaca o Cepea.

No período de abril de 2020 até março de 2021, o Indicador CEPEA/ESALQ para o etanol hidratado (preços pagos às usinas de etanol) ficou em R$ 2,1574/litro (ICMS zero e PIS/Cofins zero), 13% abaixo, em reais, ante a safra anterior (abril de 2019 a março de 2020).

Para o etanol anidro, a média do Índice CEPEA/ESALQ foi de R$ 2,3729/litro na safra 2020/21, 12,8% inferior ao da safra anterior. As médias mensais de ambos os tipos de etanol foram deflacionadas pelo IGP-M de março de 2021.

Nos comparativos de volume de comercialização, a média da safra 2020/21 de etanol hidratado comercializado pelas usinas de etanol do Estado de São Paulo (SP) diminuiu 20,5% em relação ao mesmo período da safra anterior, de acordo com o Cepea.

A maior quantidade (14,9% do total comercializado na safra) foi vendida em outubro de 2020, seguida por setembro (9%), quando os preços do etanol eram atrativos para vendedores se comparados às cotações da gasolina.

"Considerando os preços dos produtos do setor sucroenergético, vender açúcar foi mais vantajoso do que vender etanol ao longo da safra", destaca o centro de pesquisa ligado à USP.

Na safra 2020/21, os preços do açúcar foram 45,4% superiores aos do etanol hidratado e 32,8% superiores aos do etanol anidro. Em relação ao etanol, as cotações do anidro foram 9,3% superiores aos preços do hidratado, na mesma comparação.

As comparações do Cepea consideraram os preços líquidos com impostos e o valor do Açúcar Total Recuperável (ATR) da cana-de-açúcar utilizada na produção desses subprodutos.

Na virada para a safra 2021/22, os preços do etanol voltaram a subir no estado de São Paulo com compradores dispostos a negociar no mercado à vista. Além disso, a oferta está baixa neste início de safra no Centro-Sul, já que algumas usinas postergaram o início da moagem devido às condições climáticas.

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário