Açúcar finaliza sessão próximo da estabilidade nesta 5ª feira em NY e Londres

Publicado em 22/04/2021 18:27 e atualizado em 23/04/2021 14:44 82 exibições
Mercado em NY chegou a ficar acima de US$ 17 c/lb durante o dia, mas não sustentou ganhos dos últimos dias

LOGO nalogo

​Os futuros do açúcar encerraram a sessão desta quinta-feira (22) próximos da estabilidade nas bolsas de Nova York e Londres, após ganhos seguidos nos últimos dias. Depois de iniciar o dia seguindo as preocupações climáticas, movimentos técnicos foram vistos no mercado.

O principal vencimento do açúcar na Bolsa de Nova York fechou o dia com desvalorização de 0,06%, cotado a US$ 16,88 c/lb, com máxima de 17,05 c/lb e mínima de 16,76 c/lb. O tipo branco em Londres registrou perda de 0,19%, negociado a US$ 462,40 a tonelada.

Apesar de atingir pico de US$ 17 c/lb durante a sessão, as cotações do adoçante não conseguiram se sustentar, sendo impactadas por movimentos técnicos no fim dos trabalhos nos primeiros vencimentos. Os contratos mais distantes até fecharam no azul, mas próximas da estabilidade.

"Foi uma sessão um pouco mais técnica em termos de movimento, não é nada que muda muito o cenário de comportamento desses preços", disse ao Notícias Agrícolas Bruno Freitas, economista sênior da Datagro.

Do lado fundamental, como fator de suporte para a alta dos últimos dias, o mercado segue as informações climáticas relacionadas com a safra 2021/22 de cana-de-açúcar do Centro-Sul do Brasil. Os produtores têm postergado o início da colheita e moagem à espera de melhor desenvolvimento.

Colheita de cana-de-açúcar 13/09/2018 REUTERS/Paulo Whitaker
Atenção para clima na safra 2021/22 de cana-de-açúcar do Centro-Sul do Brasil - Foto: Reuters

A consultoria Agro do Itaú BBA estima que a nova safra brasileira tenha uma queda de cerca de 7% ante a anterior, com 35,6 milhões de toneladas. A produção total de etanol no país é estimada em 29,23 bilhões de litros, ficando cerca de 4% menor ante a temporada anterior.

"A expectativa é de safra açucareira, na nossa visão com mix de açúcar em 46% e produção de 35,6 milhões de toneladas, queda de 7,3% comparada com a safra anterior", disse a consultoria

Veja mais:
» Itaú BBA vê leve déficit de açúcar na safra global 21/22, mas cenário ainda depende de importantes origens

Ainda com foco nas origens, o mercado também olha para as recentes incursões de frio na França, maior país produtor de açúcar da União Europeia. A safra de beterraba sacarina do país perdeu até 50 mil hectares plantados com geadas.

As cotações também seguiram no dia informações do financeiro, segundo a consultoria Barchart, com suporte pela valorização no dia do real sobre o dólar, mas peso com a desvalorização do petróleo no cenário internacional.

Mercado interno

A terça-feira, antes do feriado no Brasil, foi novamente marcada por valorização no mercado interno. O Indicador CEPEA/ESALQ do açúcar, cor Icumsa de 130 a 180, mercado paulista, subiu 0,47%, a R$ 110,05 a saca de 50 kg na quarta-feira.

Já no Norte e Nordeste do Brasil, o açúcar registrou estabilidade, negociado a R$ 115,35 a saca, segundo dados da Datagro. O açúcar VHP, em Santos (SP), tinha na última sessão o preço FOB cotado a US$ 18,38 c/lb, com alta de 0,97% sobre o dia anterior.

» Clique e veja as cotações completas de sucroenergético

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário