Volume de CBios negociados salta 30% na 1ª quinzena de novembro, aponta ItaúBBA

Publicado em 22/11/2021 14:38 e atualizado em 06/12/2021 13:58 144 exibições
Meta para todo o ano de 2021 de emissões relativas ao programa RenovaBio já foi superada, totalizando 26,67 mi de títulos

Logotipo Notícias Agrícolas

O volume negociado de créditos de descarbonização (CBios) durante os primeiros 15 dias de novembro teve um salto de 30% ante a segunda quinzena do mês de outubro, totalizando 2,77 milhões de títulos, segundo o Itaú BBA, com base em dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

A primeira metade do mês de novembro também foi marcada por uma recuperação dos preços médios, com valores fechando próximos da máxima do ano. No período, o valor do CBio ficou em R$ 47,48/Cbio, sobre máxima no ano de R$ 48,83 e uma média de todo o ano de 2021 de R$ 35,82/CBio.

A emissão de CBios na primeira quinzena de novembro totalizou 0,90 milhão de títulos, sobre 2,65 milhões em todo o mês de novembro do ano passado e 2,54 milhões de títulos na B3 em outubro.

O total de títulos gerados no ano chegou a 26,67 milhões, segundo análises da consultoria, ou seja, já superou a meta para todo o ano de 2021 do programa RenovaBio, que estava fixada em 24,9 milhões de títulos, sobre 18,50 milhões em 2020 e uma meta no ano anterior de 14,9 milhões de títulos.

O número de CBios disponíveis no mercado é de 23,4 milhões de títulos, sendo que 75% do total estão nas distribuidoras, 24% nas produtoras e 1% em partes não obrigadas, segundo levantamento reportado pelo Itaú BBA. O total de títulos aposentados no ano de 2021 está em 6,1 milhões, além de um estoque inicial na B3 de 3,9 milhões de títulos.

Os CBios negociados na bolsa brasileira equivalem a 1 tonelada de carbono que deixa de ser emitida na atmosfera

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário