Moagem de cana-de-açúcar cresce 20,26% na Região Centro-Sul

Publicado em 03/08/2010 08:25 440 exibições
A moagem de cana-de-açúcar na Região Centro-Sul do Brasil atingiu 255,19 milhões de toneladas no acumulado da safra 2010/2011, do início de abril até a primeira quinzena de julho, crescimento de 20,26% em comparação com o mesmo período da safra 2009/2010. A informação é da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica).

Na primeira quinzena de julho, o processamento de cana ficou em 39,67 milhões de toneladas, queda de 4,95%, comparando com a quinzena anterior. Segundo a entidade, esse recuo se deve à ocorrência de chuvas durante a quinzena, ainda que em baixa intensidade, em algumas regiões produtoras.

Segundo Antonio de Padua Rodrigues, diretor técnico da Unica, pode-se afirmar que mais de 50% do incremento da moagem observado até o momento deve-se à antecipação do início da safra. Ele afirma, contudo, que o clima mais seco ao longo da atual safra, com chuvas abaixo da média histórica, que permitiu o avanço na colheita, deverá também reduzir a produtividade agrícola da cana ainda a ser colhida e antecipar o final da safra na maior parte das regiões produtoras do centro-sul.

Isso deve levar a uma entressafra mais longa, voltando ao padrão histórico, que foi alterado nas duas últimas safras com inícios antecipados e encerramentos que foram além do período habitual. Mais importante, existe a possibilidade de colheita em áreas em que a cana não completou totalmente o seu ciclo de desenvolvimento, ou seja, a cana de final de safra poderá ser colhida com menos de 12 meses.

Na primeira quinzena de julho, a quantidade de açúcares totais recuperáveis (ATR) por tonelada de cana-de-açúcar ficou em 146,50 quilos, ante 135,60 quilos obtidos na mesma quinzena da safra 2009/2010. No acumulado desde o início da safra, a concentração de ATR aumentou em 3,80% em relação ao mesmo período de 2009, totalizando 130,80 kg de ATR por tonelada de cana.

Da quantidade total de cana-de-açúcar processada na primeira quinzena do mês de julho, 45,17% destinou-se à produção de açúcar e 54,83% ao etanol, ainda de acordo com a Unica. A proporção da cana direcionada à produção de açúcar alcançou 44,03% no acumulado desde o início da safra, mantendo o mix mais açucareiro do que o da safra anterior, segundo cálculos da entidade.

Fonte:
DCI

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário