Brasil vai à OMC contra subsídios ao etanol nos EUA

Publicado em 04/05/2011 08:41 397 exibições
O Brasil vai à Organização Mundial do Comércio (OMC) para cobrar explicações dos EUA sobre seus subsídios ao etanol. O Itamaraty quer que Washington responda como é que fundos federais e de diferentes estados são usados no financiamento do setor de biocombustíveis e de energia alternativa nos EUA. Há anos o Brasil se queixa da concorrência desleal do etanol de milho americano devido ao subsídio de mais de US$ 6 bilhões. Apesar de usar a OMC para a cobrança, o Brasil não abriu uma disputa legal contra os Estados Unidos. Por enquanto, o Itamaraty usou uma reunião do Comitê de Subsídios da entidade para pedir os esclarecimentos.

Preço do etanol deve baixar este mês, prevê Mantega

Um dos vilões da inflação alta, o etanol deverá dar uma folga para o consumidor neste mês. A previsão foi feita pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, ao participar de audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado. Ele disse que o fim da entressafra e o início da colheita da safra deste ano deverão derrubar os preços do etanol e influenciar no custo da gasolina, em cuja composição entra com 20%.

Mantega lembrou que o governo editou a Medida Provisória 532/10, que dá à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) o poder de regular a produção, a importação, a exportação, a estocagem e a venda do etanol e outros biocombustíveis.

A MP também amplia a banda de variação da mistura do etanol anidro na gasolina dos atuais 20 a 25% para 18 a 25%. Ou seja, numa situação de escassez de etanol, como a atual, pode-se baixar o percentual dele na composição da gasolina.

Além da entressafra, outro fator que contribuiu para a alta do etanol, na avaliação do ministro, foi a opção do produtor pela cana-de-açúcar, cujo preço subiu nos mercados interno e externo. Ou seja, a perspectiva de melhor resultado financeiro com o açúcar reduziu a produção do etanol.

Fonte:
DCI + Agência Senado

0 comentário