Sem investimentos na produção, especialista prevê falta etanol até 2014

Publicado em 14/07/2011 09:37 491 exibições
Até a Copa do Mundo de 2014, o Brasil vai continuar enfrentando problemas de desabastecimento de etanol. Essa é a opinião do engenheiro agrônomo Edgar Gomes Ferreira de Beauclair, professor da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da Universidade de São Paulo (USP), que coordena um grupo de estudos sobre cana-de-açúcar.

Em entrevista à Agência Brasil, Beauclair disse que a produção de etanol não consegue atender ao mercado e que investimentos no setor, mesmo se forem feitos e ampliados imediatamente, só começarão a dar retorno em, no mínimo, três anos. “Infelizmente, não há solução a curto prazo. Não se soluciona essa situação em menos de um ano. A normalização [do abastecimento do mercado], se medidas forem tomadas imediatamente, viria a ocorrer nos próximos três ou quatro anos.

Possivelmente, nas Olimpíadas [de 2016, no Rio de Janeiro] estaríamos com uma situação melhor. Mas até a Copa do Mundo de 2014 nós vamos ter esse problema”, disse o professor. Ele ressaltou que a necessidade é de "investimentos pesados" para que, no prazo mínimo de quatro anos, o Brasil possa exportar etanol.

Para este ano, a estimativa do professor é que volte a faltar combustível. “O etanol poderia estar agora com maior pressão de oferta, já que estamos em plena safra. No entanto, isso não está acontecendo. Já está havendo estocagem do produto para a entressafra. Esses preços devem se manter durante o ano inteiro. Não vai voltar mais a R$1,10 [por litro] ou R$ 1,20 justamente para inibir um pouco essa demanda e permitir que haja estocagem. Mas, ainda assim, nas minhas contas, vai faltar cana e, faltando cana, vai faltar etanol”.

A solução para o setor, de acordo com o acadêmico, passa pela ampliação dos investimentos no setor sucroalcooleiro e por uma política pública energética para atrair o investidor. “Se o desejo é que a oferta aumente, é preciso criar condições para que as pessoas que têm capital se decidam a colocar esse dinheiro no setor de produção”, explicou.

A estimativa da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica) é que a produção de açúcar deve atingir 32,38 milhões de toneladas na safra atual (2011/2012), queda de 3,35% em comparação à safra passada. A produção de etanol deve atingir 22,54 bilhões de litros, queda de 11,19% sobre os 25,38 bilhões de litros destilados na safra anterior.

Fonte:
Agência Brasil

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

2 comentários

  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Sobre a escassez de etanol, certamente ela ficará muito mais pronunciada quando os imensos canaviais tiverem que sair da beira de rios e córregos (APP's), abandonar as áreas pouquinho inclinadas por causa da colheita mecanizada e finalmente por causa da Reserva Legal. Pior é os plantador não saber usar isto como argumento em defesa do Código Florestal ou não - fico abismado com esta falta de visão.

    0
  • divanildo gonçalves rodrigues Bela Vista de Goiás - GO

    Dr Edgar gostaria so de manifestar minha opiniao !

    nao como produtor mas como consumidor de etanol ,pois sempre usava e uso

    este para meu transporte !

    acho interessante como se pressiona o governo hora pra arrumar dinheiro pra se fazer estoque outra hora pra ajudar em investimento etc etc etc ....

    mas quando falta etanol sempre dizem que vivemos em economia de mercado afinal o mundo e capitalista e o que comanda isso e a oferta e a procura!

    hora vejam se e assim !

    porque e que o governo deveria continuar a investir com juros baixos o que nos cobram com juros altos a falta repentina de alcool quando se veem que o açucar e mais rentavel no momento ????????

    e as caldeiras e moegas viraram todas pra fazer açucar????

    que mercado eesse que o pobre do usineiro(parentese) nao respeita o mercado

    e ascena com reajustes abusivos seus produtos em nome deste livre mercado

    e depois acena que presciza de investimento estatal a fundo quaze perdido ????

    nao entendo como voçes ? e o proprio canal rural nao questiona isso??

    gostaria que me respondessem sem enrolaçao essas perguntas que fico sempre a me fazer ! as coisas devem ser assim????

    0