USDA reduz estoques de soja dos EUA e leva residual do país a zero

Publicado em 09/04/2014 13:31 5181 exibições

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulgou, nesta quarta-feira (9), seu relatório de oferta e demanda de abril reduzindo os estoques finais de soja e milho dos Estados Unidos e deixando o número chamado de residual da oleaginosa em zero no país. O mercado da soja já responde a esses números e exibe expressiva alta na Bolsa de Chicago. 

Soja EUA - Os estoques finais de soja nos Estados Unidos foram reduzidos de 3,95 milhões de toneladas para 3,67 milhões de toneladas. Paralelamente, o USDA trouxe ainda um aumento das importações norte-americanas, que subiram de 950 mil toneladas para 1,77 milhão e, além disso, reduziram o volume residual de 330 mil toneladas a zero. 

O esmagamento de soja dos EUA também foi reduzido e ficou em 45,86 milhões de toneladas, contra 45,99 milhões do relatório do mês passado. As exportações dos EUA, por outro lado, cresceram expressivamente e sua projeção aumentou de 41,6 milhões para 43 milhões de toneladas. 

Soja Mundo - A produção mundial de soja também recuou e passou para 284,05 milhões de toneladas, contra 285,43 milhões estimadas em março. Os estoques globais também caíram e passaram de 70,64 milhões para 69,42 milhões de toneladas. 

A safra do Brasil teve sua estimativa revista para baixo, ficando em 87,5 milhões de toneladas, contra 88,5 milhões do boletim anterior. Paralelamente, foi mantida em 54 milhões de toneladas, bem como a da China, em 12,2 milhões de toneladas. 

Soja USDA Abril

Milho EUA - O USDA reportou ainda uma redução nos estoques norte-americanos de milho. O número ficou em 33,82 milhões de toneladas, frente as 36,98 milhões de toneladas estimadas em março. As exportações, por outro lado, aumentaram e passaram de 41,96 milhões para 44,45 milhões de toneladas. 

Milho Mundo - A produção brasileira do cereal foi estimada em 72 milhões de toneladas pelo departamento, que, em março, projetava uma colheita de 70 milhões de toneladas. Para a Argentina, foi mantido o volume de 24 milhões de toneladas e para a China de 217 milhões. 

A produção mundial registrou um expressivo aumento e foi de 966,63 milhões para 973,9 milhões de toneladas. Os estoques mundiais, por sua vez, recuaram de 158,47 milhões para 158 milhões de toneladas. 

Milho USDA Abril

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Ygor Gomes Recife - PE

    Apesar da pequena queda referente aos estoques e a produção, isso já não era esperado? Ao fazermos uma comparação com estoque finais de mesma época do ano passado, onde o consumo não houve grandes alterações esse preço não seria meramente especulativo ou de euforia?

    0