USDA aumenta produção e estoques de soja e milho dos EUA

Publicado em 12/08/2014 13:47 e atualizado em 12/08/2014 14:38 5478 exibições

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulgou, no início da tarde desta terça-feira (12), seu novo boletim mensal de de oferta e demanda e os números já impactam significativamente no mercado internacional de grãos. Por volta das 13h40 (horário de Brasília), os principais vencimentos da soja perdiam mais de 20 pontos, enquanto no milho o recuo era de pouco mais de 5 pontos nas posições mais negociados. 

Soja EUA

O USDA manteve os estoques finais de soja da safra 2013/14 em 3,81 milhões de toneladas, número que ficou dentro das expectativas do mercado - de 3,4 a 3,86 milhões de toneladas. Por outro lado, aumentou sua estimativa para as exportações norte-americanas da temporada velha de 44,09 milhões para 44,63 milhões de toneladas. 

Além disso, revisou para baixo também o volume do residual de soja, que caiu de -1,88 milhão de toneladas para -2,56 milhões de t. As importações de soja também foram reduzidas e caíram de 2,31 milhões estimadas em julho para 2,18 milhões de toneladas. 

Já para a safra 2014/15 as mudanças foram mais significativas. A produção foi estimada em 103,85 milhões de toneladas, contra a estimativa anterior de 103,42 milhões de toneladas. As expectativas do mercado variavam de 100,7 milhões a 107,53 milhões de toneladas. A produtividade também apresentou um leve incremento e foi projetada em 51,47 sacas por hectare. As expectativas para o rendimento variavam de 50,45 a 53,3 sacas por hectare e, em julho, foi reportada em 51,25 scs/ha. 

O esmagamento da safra nova foi mantido em 47,76 milhões de toneladas, as exportações em 45,59 milhões e o total residual em 520 mil toneladas. Já as importações de oleaginosa pelos EUA passaram de 408 mil para 410 mil toneladas. As áreas plantada e colhida ficaram em 34,32 milhões e 34,02 milhões de hectares, respectivamente. 

Soja Mundo

A estimativa do USDA para a safra mundial 2013/14 subiu ligeiramente, passando de 283,87 milhões para 283,95 milhões de toneladas. Os estoques finais globais passaram de 67,24 milhões para 67,09 milhões de toneladas. No caso da safra nova, a estimativa para a colheita registrou um leve reajuste e caiu de 304,79 milhões para 304,69 milhões de t. Os estoques finais foram de 85,31 milhões para 85,62 milhões de toneladas. 

A nova safra do Brasil foi mantida em 91 milhões de toneladas e a estimativa para os estoques finais caíram de 24,06 milhões para 23,51 milhões de toneladas. No caso da Argentina, a colheita está prevista em 54 milhões de toneladas e os estoques subiram de 32,16 milhões para 32,23 milhões de toneladas. 

Para a China, o USDA estimou a safra 2014/15 em 12 milhões de toneladas, mesmo número do boletim de julho, as importações em 73 milhões de toneladas e os estoques finais da nação asiática em 13,09 milhões de toneladas. 

Números da Soja

Soja - USDA Agosto 2014

Milho EUA

Os estoques finais norte-americanos de milho da safra 2013/14 foram reduzidos pelo USDA de 31,65 milhões para 30,01 milhões de toneladas. O número ficou ligeiramente menor do que o mínimo das expectativas do mercado, que variavam de 30,38 milhões a 34,44 milhões de toneladas. Por outro lado, o departamento aumentou o total de milho utilizado na fabricação de etanol de 128,91 milhões para 130,06 milhões de toneladas. 

As exportações da temporada 2013/14 também foram reajustadas para cima e subiram de 48,26 milhões de toneladas estimadas em julho para 48,77 milhões de toneladas. 

Nos números da safra nova, as revisões mais expressivas foram nos números de produção e produtividade do cereal. A colheia está estimada em 356,43 milhões de toneladas, contra 352,06 milhões do boletim de julho. O rendimento passou de 174,95 para 177,17 sacas por hectare, o que ficou dentro do esperado pelo mercado. Já os estoques finais norte-americanos foram estimados em 45,93 milhões de toneladas, contra as 45,75 milhões do reporte anterior. As projeções dos traders variavam de 45,14 milhões a 55,96 milhões de toneladas. 

Sobre o uso do milho para a produção de etanol, o USDA reduziu sua estimativa de 128,3 milhões para 128,91 milhões de hectares e as exportações subiram de 43,2 milhões para 43,82 milhões de toneladas. As importações, por sua vez, foram mantidas em 760 mil toneladas. 

Milho Mundo

A estimativa do departamento para a produção global de milho da safra 2014/15 subiu expressivamente, passando de 981,12 milhões para 985,39 milhões de toneladas. Já os estoques finais mundiais recuaram de 188,05 milhões para 187,82 milhões de toneladas. Da safra velha, esses números vieram, respectivamente, em 984,37 milhões e 171,09 milhões de toneladas. 

Ainda sobre a nova temporada, o USDA estimou a produção brasileira em 74 milhões de toneladas e os estoques finais do país em 15,75 milhões de toneladas, mesmos números do boletim do mês passado. Para a Argentina, estima-se uma colheita de 26 milhões de toneladas e estoques de 4,540 milhões. 

No caso da China, o departamento aposta em uma safra de 222 milhões de toneladas, estoques finais de 80,36 milhões e importações de 3 milhões de toneladas. 

Números do Milho

Milho - USDA Agosto 2014

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

4 comentários

  • Liones Severo Porto Alegre - RS

    Milho/USDA : safra mundial 2014/15 de 985,39 milhões de tons, comparado a 984,37 ano passado. Exportações mundiais 115,22 milhões de tons, comparado a 125,47 milhões de tons ano passado – será que as importações de mundiais encolherão em cerca de 10 milhões de tons, se existe uma forte expansão no consumo de farelo de soja, seu parceiro na formulação de rações ?

    Safra milho/USA : 356,43 milhões de tons, comparado a 353,72 ano passado. Exportações USA de 43,18 milhões de tons, comparado a 48,77 milhões de tons ano passado. De 2012/2013 para 2013/14 a demanda mundial de milho cresceu 37pct e, agora dizem que de 2013/14 para 2014/15 a demanda vai encolher em cerca de 9pct. Detalhe : os preços do milho explodiram na China e já estão negociando na equivalência de us$ 6.00 por bushel da Bolsa de Chicago. Dá para acreditar ??

    0
  • Liones Severo Porto Alegre - RS

    Caro Telmo Heinen, se me permite. De acordo com critério convencionado pelo USDA, considera-se que os estoques finais mundiais das culturas de verão datam de 1º. de outubro e, das culturas de inverno no dia 1º. de junho. Os estoques de soja mundial crescerão de 67,090 milhões de toneladas no dia 1º. de outubro deste ano, para 85,310 milhões de toneladas para o dia 1º. de outubro de 2015. Esta data não representa os estoques de Brasil e Argentina porque naquela data não termina nossa safra. Então, a medida que cresce a safra sul-americana, maiores se tornam os estoques mundiais. Especificamente, neste ano o Brasil terá 17,110 milhões de toneladas de soja, Argentina com 28,630 milhões de toneladas, a China com 13.290 milhões de toneladas, todos dia 1/10/14. Nem mencionei o estoque norte-americano de 3,820 milhões de tons, porque se deduzir a conta de resíduos negativos (que não existe) de 2,560 milhões de tons, o estoque norte-americano deste ano será na realidade 1,260 milhões de tons, o menor da história e não declarado. Portanto, nenhum desse fantasiosos estoques existem e, se por ventura existisse a soja jamais trabalharia acima de us$ 8.00 por bushel. abraços

    0
  • Liones Severo Porto Alegre - RS

    As vezes precisamos ser contundentes num esforço de mudar o leme da nossa arca. Os números divulgados pelo relatório do USDA são fantasiosos e distante da realidade de oferta & demanda mundial. Joguem esses números na primeira lata de lixo que encontrarem !!!

    0
  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Chama a atenção no Relatório da Soja do USDA, que tem como data base dos Estoques Finais a madrugada do dia 01/09 o volume argentino de 32,23 mmt sobre uma colheita prevista de 54 mmt e o aumento de 18,53 mmt no estoque mundial que está previsto para 85,62 mmt. Qual será a interpretação destes numeros pelo mercado e sua repercussão? A priori significa aparente sustentação aos preços internos do grão no Brasil.

    0