USDA reduz safra de milho dos EUA e aumenta demanda para a soja 2014/15

Publicado em 10/11/2014 14:16 e atualizado em 11/11/2014 07:38 2788 exibições

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulgou, no início da tarde desta segunda-feira (10), seu novo boletim mensal de oferta e demanda. O relatório trouxe um aumento da safra de soja norte-americana, porém, abaixo do que esperava o mercado, e surpreendeu os traders ao trazer uma redução na safra de milho de quase 2 milhões de toneladas. 

No cenário mundial, também reduziu a safra global de milho, bem como seus estoques finais. No caso da soja, por outro lado, a colheita global foi elevada. A seguir, veja os números detalhados. 

Soja EUA - No quadro da safra 2014/15, o USDA elevou sua estimativa para a safra de soja dos Estados Unidos de 106,88 milhões para 107,73 milhões de toneladas. O mercado, no entanto, apostava em 108 milhões de toneladas para esse relatório. A produtividade subiu de 53,3 para 53,87 sacas por hectare e os estoques finais também apresentaram uma ligeira queda, de 12,26 milhões para 12,25 milhões de toneladas. 

Por outro lado, o esmagamento e as exportações de soja norte-americanas também aumentaram e ficaram em, respectivamente, 48,44 milhões de 46,81 milhões de toneladas. No boletim de outubro, esses números eram de 48,17 e 46,27 milhões de toneladas. 

Na área plantada e na área colhida o USDA não mexeu e os números permaneceram em 34,08 milhões e 33,75 milhões de hectares. As importações também foram mantidas, nesse caso, em 410 mil toneladas. 

Soja Mundo - O departamento norte-americano revisou ainda sua projeção para a safra mundial de soja, a qual passou de 311,2 milhões para 312,06 milhões de toneladas. Os estoques finais, por sua vez, foram reduzidos e caíram levemente de 90,67 milhões para 90,28 milhões de toneladas. 

A safra brasileira 2014/15 foi mantida em 94 milhões de toneladas e os estoques finais do país em 23,95 milhões de toneladas. Já a colheita Argentina foi mais uma vez estimada em 55 milhões de toneladas, porém, os estoques caíram de 34,98 milhões para 34,65 milhões de toneladas. 

Entre os números da China, o USDA manteve a produção de soja em 11,8 milhões de toneladas, as importações em 74 milhões, no entanto, aumentou os estoques de 13,84 milhões para 14,03 milhões de toneladas. 

NÚMEROS DA SOJA

USDA Novembro Soja

Milho EUA - A surpresa desse boletim de novembro ficou por conta da projeção do USDA para a safra de milho dos Estados Unidos. Enquanto o mercado apostava em um aumento de cerca de 2 milhões de toneladas no número, o departamento reduziu sua estimativa de 367,69 milhões para 365,97 milhões de toneladas. A produtividade também foi ligeiramente reduzida e caiu de 184,37 para 183,52 sacas por hectare. 

Dessa forma, os estoques finais norte-americanos também foram reduzidos, caindo de 52,86 milhões para 51,01 milhões de toneladas. Para a produção de etanol, o USDA ampliou seu número de 130,18 milhões para 130,82 milhões de toneladas. As exportações, no entanto, foram mantidas em 44,45  milhões de toneladas. 

Milho Mundo - A safra mundial de milho também foi revisada pelo USDA e passou de 990,69 milhões para 990,32 milhões de toneladas. Os estoques finais subiram de 190,58 milhões para 191,50 milhões de toneladas. 

Para a produção do Brasil, o número de 75 milhões de toneladas foi mantido, porém, os estoques finais apresentaram um aumento de 17,05 para 17,55 milhões de toneladas. O departamento norte-americano estimou ainda a safra da Argentina em 23 milhões de toneladas, contra 26 milhões do boletim de outubro. Os estoques finais argentinos, por outro lado, aumentaram e passaram de 2,64 para 2,93 milhões de toneladas. 

Sobre os números chineses, o USDA reduziu expressivamente a produção de 217 milhões para 214 milhões de toneladas e aumentou os estoques de 77,36 para 77,72 milhões de toneladas. As importações caíram de 3 para 2,5 milhões de toneladas. 

NÚMEROS DO MILHO

USDA Milho Novembro

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário