Algodão: USDA eleva projeção para a safra global na temporada 2017/18

Publicado em 12/01/2018 16:22 e atualizado em 15/01/2018 09:40
100 exibições

LOGO nalogo

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulgou nesta sexta-feira (12) seu novo relatório de oferta e demanda global para a cultura do algodão. No caso da produção global da temporada 2017/18, o órgão elevou sua estimativa de 119,26 milhões para 120,97 milhões de fardos.

Já os estoques mundiais caíram de 88 milhões para 87,79 milhões de fardos nesta safra. Nos Estados Unidos, os estoques finais também foram revistos para baixo e recuaram de 5,80 milhões para 5,70 milhões de fardos.

A produção norte-americana foi projetada em 21,26 milhões de fardos, contra os 21,44 milhões de fardos indicados no mês de dezembro. As exportações do país foram mantidas em 14,80 milhões de fardos.

O departamento também manteve a safra do Brasil do ciclo 2017/18 em 7,80 milhões de fardos. Os estoques finais foram estimados em 8,18 milhões de fardos. Em dezembro, o número era de 8,28 milhões de fardos. Enquanto isso, as exportações de algodão do país subiram de 4 milhões para 4,10 milhões de fardos.

Para a Índia, o USDA projetou a safra em 29,30 milhões de fardos nesta temporada. O número está ligeiramente abaixo do indicado anteriormente, de 29,50 milhões de fardos. Os estoques caíram de 13,18 milhões para 12,98 milhões de fardos. As exportações foram mantidas em 4,30 milhões de fardos.

No boletim, o departamento também trouxe suas novas estimativas para a China. A safra foi estimada em 26,40 milhões de fardos, frente aos 25 milhões de fardos estimados em dezembro. Os estoques apresentaram leve alta e subiram de 39,67 milhões para 39,77 milhões de fardos. As exportações ficaram inalteradas 50 mil fardos. As importações ficaram em 5 milhões de fardos. No último reporte, o número estava em 5,30 milhões de fardos.

Para o Paquistão, União Europeia e Turquia e Bangladesh, o departamento manteve os números do último boletim.

Veja a tabela abaixo:

Algodão - USDA - Janeiro

Tags:
Por: Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário