USDA surpreende e reduz safras de soja e milho dos EUA, mas sobe estoques

Publicado em 11/10/2018 13:18 e atualizado em 11/10/2018 14:56
4441 exibições

LOGO nalogo

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) trouxe seu novo boletim mensal de oferta e demanda nesta quinta-feira (11) em desalinho com algumas expectativas do mercado. 

Soja EUA

Ao contrário do que se previa, o órgão trouxe uma redução na produção de soja de 127,72 para 127,64 milhões de toneladas, enquanto a expectativa média era de 128,81 milhões. A produtividade foi revisada para cima para 59,51 sacas por hectare, mas as áreas plantada e colhida foram revisadas para baixo. 

A área plantada ficou em 36,06 milhões de hectares, contra 36,38 milhões do boletim anterior, e a plantada em 35,73 milhões, contra 35,98 milhões do reporte de outubro. 

Por outro lado, os estoques finais subiram de 23 para 24,09 milhões de toneladas. A média esperada pelos traders era de 23,41 milhões de toneladas. As exportações norte-americanas foram mantidas em 26,06 milhões de toneladas e o esmagamento em 56,34 milhões. 

Soja Mundo

A produção mundial 2018/19 dos EUA foi estimada em 369,48 milhões de toneladas, ligeiramente maior do que no mês passado, quando o número veio em 369,32 milhões. OS estoques finais passaram de 108,26 para 110,04 milhões. 

As importações chinesas foram mantidas em 94 milhões de toneladas e a produção em 15 milhões. 

No quadro brasileiro, mudança apenas nos estoques finais, que passaram de 22,65 para 22,85 milhões de toneladas. A produção segue estimada em 120,5 milhões e as exportações em 75 milhões de toneladas. 

Para a Argentina, alta nos estoques para 36,27 milhões de toneladas, mas exportações ainda nos 8 milhões e safra de 57 milhões de toneladas. 

USDA Outubro - Soja

Milho EUA

O USDA trouxe reduções também para o cenário norte-americano de milho. A produção norte-americana em setembro estimada em 376,63 milhões de toneladas é esperada agora em 375,38 milhões de toneladas. O mercado tinha expectativa média de 377,24 milhões de toneladas. 

A produtividade do cereal foi corrigida e estimada em 189,02 sacas por hectare, contra 189,65 sacas do boletim anterior. A média esperada de rendimento pelos traders era de 190,17 sacas. E no caso do milho, as áreas plantada e colhida foram mantidas pelo departamento em, respectivamente, 36,06 e 33,1 milhões de hectares. 

O uso de milho para etanol ficou estável em 143,52 milhões de toneladas, enquanto as exportações subiram e passram de 60,96 para 62,87 milhões de toneladas. 

Ainda assim, os estoques finais dos grão nos EUA passaram a 46,05 milhões de toneladas, contra 45,06 milhões do mês anterior e frente a expectativa média de 49,08 milhões de toneladas. 

Milho Mundo

A produção mundial foi ligeiramente reduzida pelo USDA e ficou em 1.068,31 bilhão de toneladas, contra 1.069,0 bilhão do boletim passado. Ainda assim, os estoques finais do cereal mundiais cresceram para 159,35 milhões de toneladas. 

A produção do Brasil foi mantida em 94,5 milhões de toneladas e a da Argentina em 41 milhões, enquanto as exportações permaneceram em 29 e 27 milhões de toneladas, respectivamente. 

O relatório trouxe também um aumento nas importações de milho pelo México, que passaram de 16,2 para 16,7 milhões de toneladas. As da União Europeia foram mantidas em 19,5 milhões. 

USDA Outubro - Milho

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário