USDA reduz safras de soja dos EUA e Brasil; oferta americana de milho também diminui

Publicado em 08/02/2019 15:09 e atualizado em 11/02/2019 07:38
6837 exibições

LOGO nalogo

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) finalmente voltou com seus boletins e nesta sexta-feira (8) confirmou as expectativas do mercado em seu reporte mensal de oferta e demanda e reduziu a safra e os estoques finais de soja dos Estados Unidos. 

A produção norte-americana foi de 125,19 para 123,67 milhões de toneladas, abaixo ainda da média das projeções que era de 124,05 milhões. 

Os estoques caíram de 25,99 para 24,77 milhões de toneladas. O mercado tinha média das expectativas de 25,04 milhões de toneladas. 

O USDA trouxe ainda uma baixa na produtividade norte-americana da oleaginosa, de 58,39 para 57,83 sacas por hectare, aumentou a área plantada para 36,1 milhões de hectares e reduziu a colhida para 35,65 milhões. 

Soja Mundo

A produção mundial de soja também foi revisada para baixo pelo USDA e estimada em 360,99 milhões de toneladas, contra 369,2 milhões de dezembro. Os estoques caíram e ficaram em 106,72 milhões. 

Para a colheita do Brasil o USDA estima 117 milhões de toneladas, contra as 122 milhões do reporte anterior; na Argentina, baixa de 55,5 para 55 milhões e, no Paraguai, de 9,8 para 9,5 milhões de toneladas. 

O USDA reduziu também as importações de soja da China de 90 para 88 milhões de toneladas. 

Soja USDA Fevereiro

Milho EUA

Os números do milho também vieram bem alterados e reduzidos no cenário norte-americano. A safra caiu para 366,29 milhões de toneladas, contra 371,52 milhões do boletim de dezembro último. A produtividade também caiu e ficou em 184,53 sacas por hectare. 

Do mesmo modo, o USDA baixou os estoques finais do cereal nos EUA de 45,24 para 44,07 milhões de toneladas. O uso do grão para etanol também foi revisado para menos, ficando em 141,61 milhões de toneladas. 

Milho Mundo

A produção mundial de milho foi mantida pelo departamento em 1.099,91 bilhão de toneladas, enquanto os estoques finais globais subiram para 309,78 milhões de toneladas. 

No caso do Brasil e da Argentina, produções mantidas em 94,5 milhões e 46 milhões de toneladas. Os estoques brasileiros subiram na Argentina para 7,08 milhões e no Brasil caíram para 8,02 milhões de toneladas. 

Milho USDA Fevereiro

Tags:
Por Carla Mendes
Fonte Notícias Agrícolas

Nenhum comentário